Especial

Apenas sete pontos são considerados impróprios para o banho no litoral alagoano

Mudanças no relatório de balneabilidade devem melhorar atendimento aos banhistas e comerciantes

27 de Julho de 2018, 13:36

 
O número de pontos onde são feitas as coletas semanais de águas das praias alagoanas aumentaram de 55 para 60, essa semana. O relatório divulgado na sexta-feira (22) apresenta a novidade e a mudança na numeração que passa a seguir a ordem crescente, desde o início do litoral sul, na praia do Pontal do Peba, até o extremo do litoral norte, na praia de Maragogi. Há trechos acrescentados por conta da necessidade das prefeituras para certificação bandeira azul.
 
Entre os 60 pontos, apenas sete foram considerados impróprias para banho. Conforme, a resolução No 274/2000 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), que define os critérios para classificação. As amostras foram coletadas nos dias 18 e 19, quando não foram registradas incidências de chuvas naquelas áreas.
 
O resultado é que dos 11 trechos localizados no litoral sul - entre o Pontal do Peba e a Praia do Gunga, todos se mantêm próprios para banho. A região metropolitana passa a ter 32 pontos verificados, desde a Barra de São Miguel até a Barra de Santo Antônio, destes cinco estão impróprios. O litoral norte passa a ter 17 pontos, entre a Barra de Camaragibe e Maragogi, e dois não são indicados aos banhistas.
 
Os pontos acrescentados foram no Rio Niquim e a Praia do Francês, na região metropolitana, e mais três na praia de Maragogi. Segundo Carlos Soares, diretor de Laboratório do IMA, os quatro trechos de praia atendem a necessidade para a certificação internacional bandeira azul - que trata da qualidade das praias considerando critérios como a balneabilidade. No estado o programa é apoiado pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur).
 
O relatório é disponibilizado semanalmente no site do IMA e pode ser visualizados em PDF ou através do Google Earth.