Especial

Maternidade Santa Mônica realiza reformas e perde temporariamente leitos na UTI e UCI

O orçamento das reformas, que será feita em blocos, é de R$ 30 milhões; recursos vêm dos governos federal e estadual

27 de Julho de 2018, 13:36

 
Começaram nesta segunda-feira (10) as obras de reforma da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) da Maternidade Escola Santa Mônica, que é uma unidade hospitalar da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal). 
 
As reformas acontecerão de forma sequencial. Inicialmente, a UTI e a UCI serão transferidas para a enfermaria Mãe Canguru, que continuará funcionando em outro local. A transferência da UTI e da UCI acarretou em diminuição de leitos: as duas unidades ficarão com 27 leitos, seis a menos do que dispunham. “Temporariamente, perderemos estes leitos, porém, depois da reforma, ampliaremos esse número, ficando cada uma das unidades com 26 leitos”, explicou a reitora da Uncisal, Rozangela Wyszomirska.
 
A manutenção predial da maternidade será feita em blocos. Também serão construídas as casas de Parto e da Gestante. A porta de entrada da maternidade será restaurada. “Por fim, iniciaremos a construção de uma maternidade de risco habitual com capacidade para 100 leitos”, destacou a reitora. “Sabemos que estar trabalhando ou sendo atendido em um local em obras é extremamente desconfortável e vai haver alguns transtornos. Porém, esse é um momento passageiro que posteriormente vai beneficiar a todos os alagoanos.”
 
De acordo com a reitora, as verbas investidas nas reformas da Maternidade Santa Mônica – o que inclui compra de equipamentos e mobiliários – chegam a R$ 30 milhões, recursos liberados pelo governo federal, através do Ministério da Saúde, e pelo governo do Estado. “Tivemos também o apoio da Secretaria Municipal de Saúde”, informou Rozangela.