Especial

Tarifa de ônibus em Maceió deverá passar de R$ 2,30 para R$ 2,85

O reajuste será discutido nesta quarta-feira (12) no Tribunal de Justiça, com representantes das empresas e do Ministério Público

27 de Julho de 2018, 13:36

 
Os usuários do transporte público de Maceió podem ter um aumento inesperado na tarifa de ônibus. Será discutido na manhã desta quarta-feira (12) no Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), um possível acréscimo na taxa paga pelos usuários. A reunião contará com representantes da Associação dos Transportadores de Passageiros do Estado de Alagoas (Transpal), da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) e do Ministério Público Estadual (MPE). A sessão será presidida pelo desembargador James Magalhães de Medeiros, presidente da Terceira Câmara Cível do TJ.
 
O principal objetivo da reunião é discutir a tarifa do transporte público coletivo, questionada pela Transpal, que requereu, por meio de um agravo de instrumento, o reajuste para o valor de R$ 2,85 – hoje fixado em R$ 2,30. O aumento de R$ 0,55 é exigência das empresas de ônibus, mas será questionado por representantes do Ministério Público.
 
Segundo a SMTT, os empresários e a Transpal alegam que o valor cobrado atualmente pela passagem está defasado em Maceió e não mais condiz com a realidade da capital alagoana. O aumento para R$ 2,85 seria embasado em questões como reajuste salarial dos rodoviários, perda da quantidade de passageiros – que teria sido reduzido em 2,5 milhões nos últimos dez anos, tendo em vista as facilidades para aquisição de veículos próprios, como carro e moto –, além da grande quantidade de transportes clandestinos, para onde os passageiros estariam migrando. 
 
O Ministério Público já se pronunciou, por meio da promotora Fernanda Moreira, que informou que é possível o aumento da passagem de ônibus em Maceió antes da licitação para o transporte público. “Um dos motivos para a suspensão da licitação feita pela gestão passada de Maceió era a defasagem dos valores levantados. Se estão defasados para a prefeitura, estão defasado para as empresas também”, afirmou a promotora, confirmando que o aumento deverá mesmo ocorrer. Ela informou ainda que o novo processo licitatório ainda não tem data definida para acontecer.
 
O relator James Magalhães de Medeiros justificou a reunião desta quarta-feira devido “à relevância da matéria em discussão, inclusive pela necessidade de atuação conjunta de diversos setores públicos e privados”. A audiência acontece às 9h, o 1º andar do edifício-sede do TJ/AL, no centro da capital.
 
Protestos por todo o país
Nos últimos dias, inúmeros protestos de estudantes por causa do aumento nas tarifas de ônibus e de metrô ocorreram em diversas cidades do país. As ondas de protesto se agravaram mais em São Paulo e Rio de Janeiro. Em muitos casos, houve prisões e depredações a patrimônios públicos.