Lugares

Venha curtir este tempo de sol e chuva à beira-mar em Japaratinga

Na pousada Chalés dos Encantos, a Natureza bem próxima de você é um privilégio

27 de Julho de 2018, 13:36

 
O Outono é uma estação de chuvas no Nordeste. Em Maceió, em Maragogi, em Japaratinga... Mas quem não gosta de praia com chuva? E você sabe, as chuvas vêm e vão. No litoral, logo abre aquele solzão e você pode mergulhar outra vez – isso se você abriu mão de entrar na água quentinha do mar mesmo nesta época de quase inverno. Então, delicie-se, aproveite a estação de chuvas para repousar, para se distrair calmamente com a família ou com o seu par numa dessas aprazíveis pousadas de Alagoas Boreal. Em Japaratinga, no Pontal do Boqueirão, já na extremidade do município quase às margens do rio Manguaba, a pousada Chalés dos Encantos é um convite ao prazer e ao deleite de outono numa das praias mais lindas do Brasil.
 
As amigas paulistas Renata Marques Oliveira e Laurice de Almeida Amorim não reclamaram da chuva que caiu torrencialmente na última quarta-feira (12). “Isso a gente não controla e não tem de dizer nada. Deixa para Aquele lá de cima controlar”, disse, bem humorada, na manhã de quinta-feira (13), a psicoterapeuta Renata, de 33 anos. “Eu e Laurice tiramos uma semana de férias com destino a Natal [RN] e João Pessoa [PB]. Passamos por Porto de Galinhas [PE] e então pensamos em procurar um hotel, uma pousada em Maragogi”, contou a turista que veio de São Bernardo (Grande São Paulo), enquanto se refastelava no lauto café da manhã dos Chalés dos Encantos, em Japaratinga. Mudança de planos. Ao invés do mar calmo e plano de Maragogi, a praia de belos relevos em Japaratinga. “A gente acabou encontrando o site da pousada e ficamos atraídas porque ela está numa área de preservação ambiental e você fica em contato direto com o mar”, observou Renata.
 
O café da manhã da pousada é um capítulo à parte. Preparado pela cozinheira Nenê, a refeição traz um cuscuz fresquinho, com inhame, linguiça calabresa, ovos, queijo presunto, frutas, suco, leite, café, pão e bolo – tudo servido com estilo e graça pela simpática Nenê. “Ela é ótima, precisa ver o arrozinho e o peixe que a Nenê prepara para o almoço”, elogiou Laurice, cheia de intimidades, festejando a trégua das torrentes da noite anterior e avisando que irá sim, faça chuva ou faça sol, ao passeio no município vizinho, Porto de Pedras, onde se encontra, na outra margem do rio Manguaba, no afluente Tatuamunha, o grande e delicado peixe-boi.
 
Laurice, 39, esteticista e massoterapeuta, explicou que não somente a Natureza e a praia a atraíram até Japaratinga. “Eu gosto de estudar o comportamento das pessoas, perceber os valores culturais delas, o modo de viver da gente do lugar – isso muda de acordo com o espaço em que as pessoas vivem. Também queria inspiração para meus novos projetos. Este é um lugar inspirador, abre a mente.”
 
As casinhas de taipa e as estradas de paralelepípedos, o ar de vilarejo praiano encantaram as duas garotas de São Bernardo do Campo. Fora a receptividade das pessoas. “Elas gostam do turista. E não é pelo dinheiro. Isto importa sim, claro, pois o turismo é uma forma de ganhar a vida. Mas as pessoas que conheci aqui, elas têm uma carência, uma necessidade de carinho. Sinto que querem ter alguém perto delas, que as ouça, alguém para conversar. São muito receptivas e nós é que aprendemos com elas”, ponderou a esteticista, sendo endossada pela amiga Renata. “A gente vem com a mente pronta de São Paulo. Em São Paulo, o dia a dia nos engole.”
 
Os Chalés dos Encantos
A pousada faz jus ao nome. Composta de dez chalés construídos em madeira, mais restaurante e área de lazer com piscina e bar, ela vai realmente ao encontro do mar, chegando até a praia com pequenos quiosques de madeira que servem de abrigos em dias de sol. Foi construída há quase oito anos pelo suíço Tony Bleuler e a mulher dele, a brasileira Maria de Jesus. “Antes de me instalar em Japaratinga com a pousada, eu já tinha vindo ao Brasil de férias. Hoje somos bem aceitos pela comunidade, não somente como empresários, mas também pelo trabalho social que fazemos”, disse Bleuler, 49, dando uma pausa nos trabalhos diários, sentado no restaurante ao lado da mulher, parceira tanto na pousada quanto nos trabalhos comunitários. “A gente se conheceu na Suíça, esquiando nas montanhas”, lembrou, romântica, a esposa Maria de Jesus, 49. O bolo de chocolate que ela faz, a comunidade do Pontal do Boqueirão costuma chamar de “Bolo do Céu de Dona Jesus”. 
 
Aliás, o almoço solitário da quinta-feira, com as meninas de São Bernardo em busca do Santuário do Peixe-Boi lá pros lados de Porto de Pedras, foi Maria de Jesus mesmo quem preparou, especialmente para este repórter: peixe dourado frito, acompanhado de arroz com cenoura refogado na manteiga e purê de batatas. Simples e delicioso. Demorou um pouco para chegar à mesa, mas o casal já havia avisado: “É tudo fresquinho e preparado na hora”.
 
Pois então não se intimide com as chuvas do Outono. A encantadora Japaratinga lhe espera. Os Chalés dos Encantos, nesta época do ano, também são mais baratinhos. Os chalés privilege, mais próximos da praia (números de 1 a 4) custam R$ 135, a diária; os chalés standards (5 a 10) ficam por R$ 115. Na alta temporada, no Verão, a pousada fica lotada – já tem gente fazendo reservas para o Réveillon e Bleuler, que é presidente da Associação de Empreendedores de Japaratinga em Turismo, a Aejatur, informou que, este ano ainda, fará uma reforma geral na pousada, aumentando o número de quartos. 
 
Mas, por enquanto, é aquele sossego do Outono, com o sol se abrindo preguiçosamente entre os dias de chuva, fazendo valer cada dia de repouso e curtição da incrível natureza e receptividade do lugar. Comprove.