Promoções

Sindicato dos Jornalistas e indústria Braskem lançam o grande prêmio do jornalismo alagoano

O lançamento do concurso, promovido pelo Sindicato dos Jornalistas e pela indústria Braskem, ocorreu nesta terça-feira (19), no restaurante Bodega do Sertão

27 de Julho de 2018, 13:36

O Sindicato dos Jornalistas (o Sindjornal) e a indústria de petroquímica Braskem fizeram o lançamento do Prêmio Braskem de Jornalismo, na manhã desta terça-feira (19), no restaurante Bodega do Sertão, em Maceió, à avenida Júlio Marques, 62, bairro da Jatiúca. O concurso premia reportagens de jornais impressos, TV, rádio e internet e, também, estudantes de jornalismo numa categoria especial.

Falando aos jornalistas e convidados que compareceram ao café regional do Bodega, o presidente do sindicato, Flávio Miguel Peixoto, destacou o valor da soma dos prêmios que serão entregue aos jornalistas vencedores numa festa a ser realizada na casa de shows Musique, também no bairro da Jatiúca, no dia 8 de novembro.

“Este ano, fizemos um reajuste de 20% a 50% em todos os prêmios, totalizando R$ 46 mil e 500. O primeiro colocado recebia R$ 7 mil e passará a receber R$ 8 mil.”

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas – até o dia 29 de setembro – no site premiobraskem.sindjornal@uol.org.br.

Além de uma premiação mais gorda, a edição 2014 do concurso – criado em 1989, com o patrocínio da antiga Salgema, hoje Braskem – promete comemorar os 25 anos do concurso em grande estilo. “Faremos uma grande festa, afinal trata-se do Oscar do jornalismo alagoano”, afirmou Peixoto, lembrando que, no ano passado, foram inscritas 246 matérias. “Esperamos aumentar este número por conta dessa data especial, e também porque, com a criação do site do prêmio, as inscrições ficaram mais fáceis.”

“Esses 25 anos de jornalismo não são 25 dias”, observou o jornalista Milton Pradines, gerente institucional da Braskem. “É uma longa história de reconhecimento do jornalismo alagoano”, afirmou, destacando os “reajustes expressivos” do prêmio. “Isso dá mais força à participação do jornalista, não somente buscando um reconhecimento do trabalho dele, mas, também, por ser uma premiação que compensa esse trabalho. A gente sabe das dificuldades da profissão. O prêmio é uma ajuda.”

Pradines observou que o aplicativo do “hotsite” do prêmio pode ser baixado em celulares – facilitando ainda mais as inscrições. “Sabemos que há muitos profissionais envolvidos com as eleições, mas esperamos receber pelo menos 250 inscrições. Visitaremos as redações para estimular o pessoal a se inscrever.”

Jornalistas compareceram ao lançamento do Prêmio Braskem de Jornalismo no restaurante Bodega do Sertão

À reportagem do Alagoas Boreal, o recém-eleito presidente do Sindjornal, Flávio Miguel Peixoto, disse que “o Prêmio Braskem é uma construção coletiva”. “Toda a diretoria do sindicato participa da organização do evento. Ele é importante não somente por conta dos valores que os vencedores recebem, mas, também, porque divulga o nosso trabalho lá fora. O prêmio projeta os nossos jornalistas fora do Estado.”

O parceiro Pradines destacou o “corpo a corpo” nas redações. “É um trabalho para lembrar o prazo das inscrições. Também enviaremos e-mails e distribuiremos pequenos brindes que remetem à realização do prêmio.”

O gerente da Braskem concorda que o jornalismo alagoano ultrapassa as fronteiras estaduais, com a realização não somente do Prêmio Braskem, mas, também, do Prêmio Octávio Brandão de Jornalismo Ambiental, já realizado este ano. “Estamos sendo copiados. No Rio Grande do Sul foi criado o Prêmio Lutzenberger de Jornalismo Ambiental, nos mesmos moldes que a gente vem realizando. Eles vieram julgar as matérias e vivenciaram a festa este ano.”

Para Milton Pradines, os dois concursos promovidos pelo Sindjornal e Braskem fazem com que “a capacidade de jornalista alagoano seja reconhecida lá fora.”