Especial

'Xangô rezado alto' resgata memória e celebra cultura do povo maceioense

Ação marcada para começar às 14h, em diversos pontos da capital, relembra episódio que ficou conhecido como 'Quebra de 1912'

27 de Julho de 2018, 13:39

Nesta quinta feira (2), acontece em Maceió a sexta edição do projeto “Xangô rezado alto”. A ação marcada para começar às 14h, em diversos pontos da capital, busca combater a intolerância religiosa, lembrando o episódio que ficou conhecido como o “Quebra de Xangô” – quando, em 1912, casas de culto afro religiosos da cidade e do interior do Estado foram invadidas e destruídas por uma milícia armada denominada “Liga dos Republicanos Combatentes”, seguida por uma multidão enfurecida.

O principal cortejo do projeto circula pelo Centro, saindo da praça Dom Pedro II, seguindo pela Rua do Comércio. A comitiva passa pela Igreja do Rosário – que se agregou às irmandades negras –, seguindo em direção ao Instituto Histórico e Geográfico, na Rua do Sol, onde se encontra guardado o maior acervo do período de 1912, incluindo artefatos que pertenciam às comunidades perseguidas no “Quebra de Xangô”. O cortejo continua até a Praça dos Martírios, onde estão instalados tablados para apresentações culturais de grupos ligados à temática.

Na programação estão grupos de afoxés, maracatus e orquestras de percursionistas. A participação desses grupos no “Xangô rezado alto” é feita a partir de convênio entre a Fundação Municipal de Ação Cultural (a Fmac) e o Ministério da Cultura.

Projeto se destaca como celebração do povo maceioense

O presidente da Fmac, Vinicius Palmeira, destaca no informativo enviado à Redação que o evento "é importante não somente para as comunidades tradicionais, mas para o resgate da memória cultural do maceioense”.“É uma celebração do povo de santo e de toda Maceió, que diz não à intolerância, repudia a violência e segue na luta em busca do respeito.”

O coordenador de políticas culturais, também da Fmac, Amaurício de Jesus, afirma que a ação agrega “a quebra de preconceitos e o diálogo com a diversidade”. “O ‘Xangô rezado alto’ celebra a cultura e combate a intolerância. Não queremos mais esse tipo de perseguição, compreendendo a importância de atender à diversidade cultural da cidade. O evento promove também a cadeia produtiva cultural e reconhece artistas que estão agregados a esses ambientes.”

Além de representantes religiosos da capital e do interior, estarão presentes no evento Vinicius Palmeira, o secretário municipal de Turismo, Jair Galvão, e o reitor da Universidade Estadual de Alagoas (a Uneal), Jairo Costa.