Especial

'Abril Indígena' em Palmeira dos Índios vai ter a dança do toré

Programação nessa quarta-feira (25) inclui palestras e apresentação de grupo indígena, que fará a dança do toré

27 de Julho de 2018, 13:39

PALMEIRA DOS ÍNDIOS – Acontece nessa quarta-feira (25) no município distante 135 km de Maceió o “Abril Indígena”. O evento é uma iniciativa do Instituto Federal de Alagoas (o Ifal) e será realizado no campus da escola nos horários das 10h às 12h e das 14 às 16h. Segundo a comunicação do Ifal, “é destinado a todos os alunos e professores da instituição, com o objetivo de dar visibilidade à cultura indígena”.

“Na programação”, informa o press-release enviado à Redação, “palestras com o professor Amaro Hélio Leite (campus Maceió), Cássio Júnior (indígena Xucuru Kariri, mestrando em Antropologia) e Gênisson Amorim (docente da rede estadual de ensino)”. A mediação dos discursos e debates é do professor de História, Roberto Idalino. “Além disso, haverá apresentações culturais e exposição de artesanato”, complementa o informativo.

Antropólogo mestrando Cássio Júnior é de origem indígena

Daniel Cavalcanti, professor de Artes, diz que a ideia de fazer o “Abril Indígena” surgiu depois da realização de outro projeto do campus – o "Negritude em Foco". “Numa conversa com a professora de Geografia Flora Pidner, constatamos que o ‘Negritude’ foi um evento que deu muito certo. Então resolvemos pensar em um momento que enfatizasse o mês de abril, mas sempre lembrando que 'todo dia era dia de índio', como diz a música de Baby do Brasil."

Durante todo o evento, uma exposição fotográfica organizada pela professora Flora ficará aberta ao público. Haverá, também, uma exposição de artesanato indígena e, no final da tarde, o grupo indígena Xucuru Cariri fará uma demonstração da Dança do Toré, que é uma manifestação folclórica de cunho religioso. “Além de Daniel e Flora, participam da articulação para o ‘Abril Indígena’, os professores Arthur Lima (Sociologia), Rosania de Almeida (Português), Luiz Domingos do Nascimento (História) e Edneide Ferreira (Português)”, informa a comunicação do Ifal.