Especial

'Alagoas Nossa Terra na Escola' é projeto de interação entre estudantes, professores e a cultura alagoana

Nesta quarta-feira (23) tem início a segunda fase do projeto, com oficinas de pastoril e outros folguedos

27 de Julho de 2018, 13:39

O projeto “Alagoas Nossa Terra na Escola”, que realizou na semana passada a última etapa da “fase de engajamento”, dá início nesta quarta-feira (23) a uma série de atividades lúdicas, com oficinas de Pastoril, que é o primeiro folguedo a ser trabalhado na comunidade escolar. A ação – que acontece na Escola Hermínio Cardoso, no bairro de Fernão Velho na parte alta da capital – é uma iniciativa do Instituto Boibumbarte, que há 14 anos realiza o bem-sucedido projeto musical “Palco Aberto”.

Com patrocínio da Fundação Municipal de Ação Cultural, do Projeto Cultura Viva e da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, no sábado (26), o projeto dá início à segunda fase, batizada de “Tempo de Conhecer”. Haverá apresentação do grupo Recordar é Viver.

Os diretores do Instituto Boibumbarte Susie Cysneiros e Wilson Miranda, no encerramento da primeira fase do projeto quinta-feira (17)

Entre os meses de maio e julho, estão programadas atividades de pastoril e outros folguedos, como o bumba-meu-boi e o guerreiro.
De acordo com a comunicação do Boibumbarte, o projeto foi concebido em quatro etapas: “tempo de engajamento”, voltado para pais, funcionários, professores e direção escolar (esta já foi cumprida); “tempo de conhecer”, que ora acontece, com oficinas lúdicas e apresentações culturais; “tempo de desenvolver”, com oficinas de música, dança e indumentária, e “tempo de compartilhar”, com apresentações de todo trabalho executado ao longo do projeto, culminando com uma “feira criativa”.

A agenda e “diário de bordo” do “Alagoas Nossa Terra na Escola” podem ser acessados no site do instituto e ponto de cultura Boibumbarte.www.boibumbarte.com.br/naescola