Especial

'Receitas das Alagoas' é o terceiro volume da jornalista Nide Lins sobre o nosso universo gastronômico

Comida de boteco e de restaurantes caseiros, além de pratos tradicionais, são destaques do volume 'Receitas das Alagoas'; jornalista faz o lançamento na segunda-feira (25)

27 de Julho de 2018, 13:39

A jornalista Nide Lins, titular de blog gastronômico no site TNH1, lança em Maceió, na segunda-feira (25), no jardim do Palácio República dos Palmares à rua Cincinato Pinto, 469, Centro, o volume “Receitas das Alagoas”, reunindo segundo a editora Imprensa Oficial Graciliano Ramos “mais de 50 receitas para os apreciadores da comida alagoana”. Um evento para convidados, com degustação de algumas das cozinhas (gourmets e populares) destacadas no livro, está marcado para as 18h.

É o terceiro livro de receitas da autora publicado pela Graciliano – os outros são as duas edições do “Guia da Gastronomia popular alagoana”, com indicações de botecos e restaurantes caseiros de Maceió e de outros municípios do Estado. “O novo projeto”, informa a editora, “reúne pratos das cozinhas de chefs, botecos, rua e tradições, tendo como eixo principal o uso de ingredientes tipicamente alagoanos.”

Jorge Barboza/ Arquivo
Nide Lins com o colega Felipe Camelo no lançamento do festival 'Sabor Brasil', em maio passado

Nide Lins diz ter convidado primeiro os cozinheiros craques para, depois, ampliar “o leque” para a cozinha popular e de tradição. “A única exigência é usar ingredientes das Alagoas, como pescados, coentro, coco, cominho e por aí vai... Tem gente nova pouco conhecida do grande público que, literalmente, coloca a cozinha pelo avesso. Em outras receitas, a simplicidade encanta, como o pato com pirão que não leva tomate, pimentão e cebola, apenas sal e cominho."

Para compor as receitas do livro, a autora visitou os restaurantes e botecos munida de balança, copo e xícara, “para anotar as medidas que não têm registro”, já que esses exímios cozinheiros preparam receitas de memória. "Aprendi que panela de pressão não é bem-vinda”, declarou à agência de notícias do governo. “No [restaurante do] Tonho, por exemplo, tive lições de como tirar a espinha do peixe e deixar o pescado inteiro e aberto, para rechear e costurar a tilápia como se fosse uma cirurgia. E quem imagina que cozinha é um glamour está errado. Lidar com a cozinha é para os fortes."