Especial

'Torcida do Hexa' se reúne mais uma vez em supermercado em Maceió

No Palato Farol na parte alta da capital a partida Brasil x Sérvia será transmitida num telão de 15m2, com serviço 'all inclusive' de bebida e comida; nesta quarta-feira (27), a partir das 14h30

27 de Julho de 2018, 13:39

Mais um dia de expectativa para os torcedores brasileiros, tendo de aguentar uma Seleção Brasileira sem líder e que, a muito custo, conseguiu bater o time da Costa Rica na quinta-feira (22), num suado e inesperado placar de 2 x 0. O espetáculo do jogo se encerrou com o choro (falso?) de um Neymar Jr. mal humorado e cheio de artimanhas (legítimas ou não) desde o primeiro e frustrante jogo do Brasil contra a Suíça, no domingo, 17. Nesta quarta-feira (27), a Seleção enfrenta o time da Sérvia, a partir das 15h, e o supermercado Farol na capital (avenida Fernandes Lima, 548), mais uma vez, reúne aficionados do futebol no evento “Torcida do Hexa”, marcado para começar às 14h30. O ingresso individual custa R$ 75 e a mesa para quatro pessoas R$ 299.

Telão de 15m2 proporciona visão confortável aos clientes e convidadosx do Palato Farol
Médico Lídio Lira (à dir., com a esposa Inês e os filhos Carlos, Maria Clara e Lídia) diagnostica a Seleção: 'Não tem objetividade'
Artista plástica Laura Gerbase e jornalista Chris Siqueira apostando na vitória da Seleção

“Jogo muito morto, não tem objetividade”, comentava, acompanhado da mulher e filhos, o médico Lídio Lira antes dos dois gols no finalzinho do segundo tempo da partida Brasil x Costa Rica. Ainda distante de o Brasil emplacar o 2 x 0, o analista de sistema Sam Duarte mostrava-se impaciente com a lerdeza da Seleção. “Está muito devagar, precisa melhorar esse ataque.”

Mas, futebol questionável à parte, os torcedores aproveitam o sistema all inclusive da “Torcida do Hexa” para degustar as comidinhas salgadas e doces (entradas e patês, frios, churrasquinhos, pães, compotas) e beber à vontade cerveja, uísque e caipirinhas. Os jogos são transmitidos num telão de alta resolução, com as dimensões de 15m2.

“Esse jogo não está legal não. Vamos esperar que no segundo tempo melhore aí”, sinalizava o empresário Marcus. “Esse primeiro tempo foi uma negação. Neymar caindo todo, vamos ver se no segundo tempo a gente melhora.”

Sam Duarte e Carolina Barreto; Djalma Lins e Elisângela Marinho com o filho Lucas: 'Precisa melhorar o ataque', diz Duarte
Empresário Marcus (no centro) com os amigos Marcellus, Thiago, Kleberth e Leadine: 'Uma negação esse primeiro tempo'

Melhorou. Com todos os atropelos, o Brasil levou a melhor e a torcida se encheu de esperança. Nova prova esta tarde – aguenta, coração. Vamos esperar que Neymar não caia tanto e não simule chorinho no final.