Cultura

Jurandir Bozo traz a história do coco para o programa 'Quinta no Arena'

Espetáculo será apresentado em Maceió na próxima semana; roteiro é resultado de 22 anos de pesquisa feita pelo artista pãodeaçucarense

13 de Agosto de 2018, 16:00

Da Redação

"Pé no Barro – Cantando um Pouco da História do Coco de Alagoas" é o espetáculo concebido e dirigido pelo cantor, compositor e mestre de coco Jurandir Bozo e que será apresentado no programa “Quinta no Arena” da próxima semana. A produção é resultado dos 22 anos que o artista trabalha com a cultura popular. O show estreia na quinta-feira, dia 23, no Teatro de Arena à rua Barão de Maceió, 375, centro da capital.

“O jovem mestre de coco Jurandir Bozo vem cantar um pouco da historia do coco alagoano, partindo da versão que diz que o inicio da brincadeira foi no Quilombo dos Palmares”, destaca o informativo enviado à Redação.

O espetáculo, com produção e direção de palco de Arnaud Borges, vai apresentando os diversos estilos dos coco, dividido como numa história em capítulos: “Cocos Soltos”, “Pagodes e Cocos de Amarração”, “Dez Pés de Glosa” e “Coco de Fundamento”, entre outros andamentos do “legitimo coco alagoano”.

Bozo se inspirou nas histórias coletadas por Aluísio Vilela no livro 'O Coco de Alagoas'

No decorrer das histórias (inspiradas no livro de Aluíso Vilela “O Coco de Alagoas”), Jurandir Bozo, que é natural do município de Pão de Açúcar, celeiro alagoano de cultura popular, vai explicando e mostrando “os trupes das tapagens de casas e suas barreleiras”.

O livro de Vilela (escrito em 1951, publicado em 1980 e reeditado pela terceira vez em 2003) é, segundo Jurandir Bozo, “o registro escrito mais rico e detalhado sobre o coco alagoano”. Juntam-se a essas informações as vivências do próprio Bozo e o legado deixado por outro mestre de pés coquistas, o músico e poeta popular Verdelinho (Maceió, 1945-2010), a quem o mestre da nova geração dedica o espetáculo.

No roteiro de “Pé no Barro”, letras retiradas do livro de Aluísio Vilela, que, segundo Jurandir Bozo, “são criações de cantadores que fizeram história e modernizaram a brincadeira com métricas e formas diferenciadas de rimar e cantar o coco”.

O artista cita mestres como Catuaba, Zé do Imbuzeiro, Frederico Bernardes e Torce Bola, reverenciando as canções de tradição oral, “algumas delas já em processo de desaparecimento”. Componentes do grupo Los Coquitos, do bairro de Chã da Jaqueira, e o grupo Catolé, de outro bairro da cidade alta, Benedito Bentes, participam como convidados.

Pé no Barro – Cantando um Pouco da História do Coco de Alagoas – Com Jurandir Bozo e convidados; quinta-feira (23), às 19h30; ingressos a R$ 20 e R$ 10.

Teatro de Arena Sérgio Cardoso (anexo ao Teatro Deodoro) – Rua Barão de Maceió, 375, Centro; tel. (82) 3315 5665.