Cultura

'Baldroca', baseado em Guimarães Rosa, é nova montagem da Associação Teatral Joana Gajuru

Espetáculo será montado ao ar livre, nesta segunda-feira (12), às 15h30, na Praça Deodoro, centro de Maceió

12 de Novembro de 2018, 13:50

Da Redação

O principal grupo de teatro de rua de Alagoas, a Associação Teatral Joana Gajuru, faz a abertura da programação cultural que comemora, esta semana, os 108 anos do Teatro Deodoro. Nesta segunda-feira (12), essa experiente trupe teatral apresentará, na Praça Deodoro, no centro de Maceió, o espetáculo “Baldroca”, com direção de Lindolfo Amaral. O texto é uma adaptação de Abides Oliveira da obra homônima do escritor mineiro Guimarães Rosa (1908-1967).

“Na montagem, o grupo passa pela experiência de um processo colaborativo na construção do espetáculo”, destaca o informativo da produção, que traz no elenco uma constelação de estrelas do nosso teatro: Reginaldo Meneses, Ivana Iza, Ticiane Simões, Matheus Marin, Cadú Moura, Alex Walker e Toni Edson.

"Baldroca" será apresentado na Praça Deodoro, centro da capital

“A peça se passa na pequena Lajinha, onde Mané Fulô enfrentará o valentão Targino para proteger a honra de sua amada, Maria das Dores”, explica o press-release enviado à Redação. “Para conseguir vencer o inimigo, Mané Fulô terá a ajuda do curandeiro do lugar. Improvisações, estudos da obra do autor, pesquisa de elementos afro-brasileiros e religiosos, musicalidade, danças: tudo isso é levado à cena.”

A premiada Associação Teatral Joana Gajuru foi criada em 1995, com uma “proposta inicial de levar a arte alagoana aos mais diversos polos do país”. Integrado por artistas veteranos e, também, iniciantes, o grupo montou, entre outros espetáculos, “Uma Canção de Guerreiro no Chumbrego da Orgia”; “O Alto da Lapinha mágica”; “Olê Olê Gajuru, o Guerreiro é Você”; “História da Moça preguiçosa”; “Fome Come, Versos de um Lambe Sola”; “Bem me Quer e Senti(R)” e a clássica “A Farinhada”, texto de Sávio do Almeida tornado o maior sucesso do teatro alagoano em todos os tempos.

Para Waneska Pimental, assistente de direção de “Baldroca”, “participar da celebração dos 108 anos do Teatro Deodoro é gratificante”. “Principalmente”, diz ela, “porque o Deodoro faz parte da história dos atores e grupos alagoanos. É a nossa casa, temos afetividade por ele.”

Relacionando os prêmios recebidos por “Baldroca”, Waneska destaca o troféu conquistado no Festival Internacional de Guaramiranga, no Estado do Ceará. “Foi a primeira peça de rua que venceu como melhor espetáculo, concorrendo com grupos renomados em trabalhos de palco. Guimarães Rosa marca a entrada do Joana Gajuru com um texto mais narrativo.”