Turismo em Pauta

Gravatá, ideal para descansar, curtir a natureza e praticar esportes radicais

A cidade pernambucana com seu clima de montanha, cheia de mirantes e trilhas ecológicas, é perfeita para adeptos do alpinismo, rapel e motocross

13 de Dezembro de 2018, 11:46

Ivaldo Pinto é jornalista

Uma das cidades turísticas mais atraentes do interior pernambucano é Gravatá, conhecida pelo clima de montanha, cachoeiras, matas fechadas, mirantes, trilhas ecológicas e arborismo. O lugar é ideal para descansar e curtir a natureza, bem como para praticar esportes radicais, como alpinismo, rapel, mountain bike, motocross entre outros. O município também é conhecido pelo fabrico de móveis rústicos em madeira maciça e pelos criatórios de cavalos em diversos haras.

Localizada em uma região de transição entre o Sertão e a Zona da Mata, Gravatá está a 447 metros de altitude e distante apenas 81 km do Recife. A cidade, com uma população estimada em 83.473 habitantes (IBGE, 2018), dispõe de uma boa rede hoteleira, incluindo hotéis-fazenda e chácaras com chalés, uma boa pedida para aqueles que gostam de se refugiar com a família em um local sossegado.

Gravatá tem, ainda, bons restaurantes e bares, cujo cardápio inclui fondues e massas, além de comidas da culinária nordestina. No Polo Moveleiro, a Rua Duarte Coelho é bastante movimentada. Lá, são comercializados móveis rústicos e também funcionam restaurantes e barzinhos (alguns com música ao vivo), bem como lojas de artesanato, antiquários e outros estabelecimentos comerciais.

As principais atrações turísticas de Gravatá são a Igreja Matriz de Sant´Ana; prédio da Prefeitura; antiga Estação Ferroviária, onde é comercializado artesanato; Mercado Público, que serve deliciosa comida regional; prédio do Memorial Gravatá; casario colorido com arquitetura do século passado; Cachoeira da Palmeira;  Pedra Branca, Trilha da Serra do Contente; Cachoeira do Tio; Alto do Cruzeiro, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade  e se observa um belo pôr do sol, entre outros.

O município se destaca também na criação de cavalos de raça. Possui a maior concentração de haras e pensões para cavalos do Brasil – são mais de 110 haras espalhados pelo município. A população tem uma verdadeira paixão por cavalos. Nos haras se alugam cavalos para passeios, com acompanhamento de guias. É comum encontrar pessoas passeando de cavalo pelas ruas da cidade, na maior descontração.

A origem de Gravatá, de acordo com a História, deu-se em uma fazenda, em 1808. A povoação servia de hospedagem para os viajantes que comercializam açúcar e carne bovina trazidos do Recife e que se dirigiam para as cidades de Caruaru, Pesqueira e Arcoverde, entre outras cidades do agreste e sertão pernambucanos. A emancipação política do município ocorreu em 15 de março de 1893. O desenvolvimento chegou a Gravatá com a inauguração da Ferrovia Great Western, no final do século 19.

Notas

Eventos injetaram mais de R$ 69 mi na economia  em 2018, afirmou Danielle Novis

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih-AL), junto com o Maceió Convention & Visitors Bureau, reuniu o trade  turístico, associados, parceiros, poder público e imprensa, em um café da manhã, para fazer um balanço do turismo em 2018. O evento aconteceu no dia 29 de novembro, no restaurante Divina Gula, na Jatiúca.  A Abih-AL revelou que, este ano, houve um aumento de 4% na taxa de ocupação nos hotéis e que a taxa média de ocupação hoteleira foi de 73%. Destacou a participação em 35 eventos nacionais e internacionais, bem como a capacitação de mais de 2.500 agentes de turismo. O MC&VB, por sua vez, apontou que foram realizados mais de 48 eventos, com a participação média de 49 mil pessoas, o que gerou um incremento na economia do Estado em torno de R$ 69 milhões, como informou a superintendente Danielle Novis. Outra boa notícia apresentada no evento partiu do secretário de Estado do Desenvolvimento e do Turismo, Rafael Brito, que anunciou o investimento de R$ 2 milhões em marketing promocional do destino, além da concessão de incentivo fiscal às empresas de aviação que trouxeram novos voos para Alagoas.

Museu Cais do Sertão ganha Prêmio Nacional de Turismo/ Foto/ Seturel-PE/ Divulgação

A segunda etapa do Cais do Sertão – Museu Luiz Gonzaga, no Porto do Recife, foi um dos vencedores do 1º. Prêmio Nacional do Turismo, na categoria Valorização do Patrimônio. A premiação ocorreu no dia 5 de dezembro no Rio de Janeiro, numa iniciativa do Ministério do Turismo. O segundo módulo é bloco elevado de concreto com aproximadamente 5,5 mil metros quadrados, anexo ao Museu Luiz Gonzaga, dotado de salas de aulas para cursos, auditório multiuso com 232 lugares, espaço para exposições temporárias, jardim suspenso, um bar/café no térreo e um restaurante na cobertura com vista para o mar, para o Porto do Recife e a cidade, além de um luxuoso vão livre de cerca de 60 metros, o segundo maior da América Latina. As obras, orçadas em R$ 25,4 milhões, foram executadas pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, por meio do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Natal Imperial, com grandes atrações,  movimenta Petrópolis, na Região Serrana Fluminense

A abertura do Natal Imperial 2018, em Petrópolis, Rio de Janeiro, ocorreu em 30 de novembro, às 20h, com show do padre Fábio de Melo. O evento que será repleto de grandes shows e atrações para toda a família, se estende até o dia 20 de janeiro, com apresentações de Roberta Miranda, Roberta Sá, Lenine, Diogo Nogueira, Alceu Valença, Preta Gil, UM44k e BFF shows acontecem Girl. Os principais na Praça da Liberdade, no Parque Municipal, em Itaipava, e no Palácio Quitandinha, e será feita a arrecadação de alimentos não perecíveis como forma de bilheteria. No total, o Natal Imperial vai contar com mais de mil horas de programação, e haverá também apresentações de vídeomapping, espetáculos de luzes e som, desfile da Parada Iluminada, programação especial em igrejas, além dos polos gastronômicos na Praça da Liberdade e no Palácio de Cristal, Casa do Papai Noel e outras atrações.

Museu da Gastronomia Baiana: comida e bebida da BA/  Foto/Amanda Oliveira

Salvador já vive em clima de verão, e os turistas que passam pelo Centro Histórico têm uma grata surpresa: o complexo turístico do Museu da Gastronomia Baiana, desde o dia 25 de novembro, conta com o Bahia Bar – anexo do Restaurante do Senac Pelourinho –, espaço destinado para bebidas locais com ingredientes tipicamente baianos, uma nova experiência com drinques e petiscos inspirados na Bahia. No local, que funciona das 11h30 às 17h, são comercializadas bebidas artesanais e culinária baiana, e o cardápio é variado: água de coco, maracujá, caju e cachaça. Para degustar, dadinhos de tapioca, bolinho de feijoada e polvo confitado. O projeto é uma parceria entre o Senac e o Sebrae, por meio do programa “Artesanato Brasil Original”, criado para fomentar a produção dos artesãos baianos.

Contatos: ivaldopintodebarros@hotmail.com