Especial

Codefasv faz o repovoamento das águas do rio São Francisco e do Lago da Perucaba

No 'Velho Chico' em Penedo foram lançados cerca de 150 mil peixes de espécies nativas; em Arapiraca foram 90 mil; ações aconteceram no domingo (13) e na sexta-feira (11)

15 de Janeiro de 2019, 10:03

Da Redação

Da PENEDO – A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (a Codevasf) realizou no domingo (13) a soltura de cerca de 150 mil peixes de espécies nativas. A ação ocorreu durante a Festa de Bom Jesus dos Navegantes, em três trechos do rio São Francisco entre os municípios de Penedo (160 km distante de Maceió) e Neópolis no Estado de Sergipe. Outra atividade de repovoamento empreendido pela Codevasf ocorreu na sexta-feira (11), no Lago da Perucaba, em Arapiraca a 136 km da capital. Foram lançados cerca de 90 mil peixes das espécies tambaqui, tilápia, curimatã-pacu e piau verdadeiro. 

De acordo com a Codevasf, os peixamentos integram “programas de repovoamento e de fortalecimento da pesca artesanal e de estímulo à piscicultura familiar”. “Somente em 2018, a companhia produziu em Alagoas 5,7 milhões de peixes de espécies nativas e de valor comercial utilizados nessas atividades.” 

Em Penedo, foram soltos cerca de 150 mil peixes de espécies nativas

Os peixes utilizados nessa ação de repovoamento foram produzidos no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba, no Estado da Bahia, e no centro tecnológico e científico da Codevasf no município alagoano de Porto Real do Colégio. Gerenciando a atividade, o técnico Vinícius Dias Filho diz que antes que os animais cheguem ao local de soltura, “um grande trabalho é realizado por uma equipe multidisciplinar”. “Contamos com um excelente trabalho de diversos profissionais, como engenheiros de pesca, biólogo e médico veterinário. O resultado é a inserção de peixes das espécies curimatã-pacu, piaba, piau verdadeiro, cari, pacamã, curimatã-pioa e matrinchã na Festa do Bom Jesus de Penedo”, explica o chefe do centro pesqueiro de Itiúba no informativo enviado à Redação.

Em Arapiraca, o secretário Flávio Maurício Machado, da pasta municipal do Desenvolvimento Rural, lembra que o Lago da Perucaba é utilizado pelos moradores de toda região como “fonte de alimento, geração de trabalho e renda por meio da pesca”. “Essa é uma forma de incrementar a renda dessas famílias. Além disso, alguns especialistas afirmam que a xira, uma das espécies depositadas no lago, alimenta-se da matéria orgânica do fundo do lago, fazendo a retirada do excesso.”.