Cultura

'Os Cadernos Verdes' de Ruth Vasconcelos analisam a dimensão da tragédia e do mal-estar na obra de Francisco Brennand

Pesquisadora de Ciências Sociais da Ufal lança nesta quinta-feira (14), em Maceió, quatro volumes traçando um painel de vida e obra do prestigiado artista pernambucano de 91 anos de idade

14 de Fevereiro de 2019, 11:32

Da Redação

Professora de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas (a Ufal), Ruth Vasconcelos faz o lançamento em Maceió, nesta quinta-feira (14) da coleção “Os Cadernos Verdes de Francisco Brennand – Uma Leitura” (editora Viva, quatro volumes). O trabalho é fruto de uma pesquisa desenvolvida por Ruth entre os anos de 2017 e 2018. A escritora promove noite de autógrafo, a partir das 19h, no Complexo Cultural Teatro Deodoro à rua Barão de Maceió, 375, centro da capital. A entrada é gratuita.

A pesquisa sobre o artista visual pernambucano Francisco Brennand, de 91 anos, foi tema do pós-doutorado de Ruth Vasconcelos na Universidade Católica de Pernambuco e contou com o apoio do próprio Brennand, referência das artes visuais pernambucanas e brasileiras, especialmente pelos trabalhos que o artista realizou como ceramista. A coleção foi lançada no começo do mês na Oficina Cerâmica Francisco Brennand, na capital recifense.

Os quatro volumes da coleção são os seguintes: “Os Nós enigmáticos na Obra de Brennand"; “A Arte de Brennand em Diálogo com a Vida e a Literatura”; “O Diário de Brennand escrito para nomear” e “Do testemunho ao Testamento sobre Vida e Obra de Brennand”.

Francisco Brennand e Ruth Vasconcelos no ateliê do artista em Recife/ Foto/ Arquivo

“A pesquisa foi feita a partir da leitura de mais de duas mil páginas referentes aos registros no diário de Brennand de 1949 a 1999, escritos recheados de muitas informações no campo da literatura, artes visuais, cinema, fotografia, mitologia e história, entre outros”, destaca o informativo do Complexo Cultural Teatro Deodoro enviado à Redação.

Ruth Vasconcelos conta que, durante os dois anos de pesquisa, encontrava-se com Francisco Brennand “uma vez por semana para discutir e revisar o texto”. De acordo com a pesquisadora, “o estudo foi iniciado com o objetivo de analisar, sob a perspectiva da psicanálise, a dimensão da tragédia e do mal-estar contidos nas obras de Brennand”.

Segundo Ruth, o que era um projeto de pós-doutorado no campo da psicanálise, “ganhou uma dimensão muito além de um trabalho acadêmico”.

“A pesquisa", diz ela, "revela um compromisso existencial e um vínculo estabelecido com Brennand nesses encontros, que permitiu um conhecimento mais profundo da subjetividade do trabalho do artista de grande extensão no campo da pintura, cerâmica, murais, desenhos e literatura. É uma alegria imensa ter escrito este trabalho e estar lançando em Maceió, partilhando esse momento com amigos.”