Especial

Prática do judô ajuda no rendimento dos estudantes da rede estadual

Projeto 'Theonilo Gama' vem sendo desenvolvido há 13 anos, primeiro na escola homônima no Jacintinho e desde 2018 também no Cepa; professores são unânimes em afirmar que os alunos melhoraram nos estudos e no comportamento

07 de Maio de 2019, 11:18

Da Redação

O projeto esportivo “Judô Theonilo Gama” tem ajudando no rendimento escolar dos estudantes do sistema de ensino público em Alagoas. Para a professora Nara Ramalho, diretora da escola estadual Vitorino da Rocha, que funciona no Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (o Cepa), no bairro do Farol – parte alta da capital –, alunos praticantes da luta corporal tiveram “melhoria significativa” nos estudos das disciplinas escolares, e também no comportamento. “Eles mudaram em sala de aula, os professores são unânimes ao afirmar isto”, garante a professora em reportagem do site de notícias do governo. De acordo com a Agência Alagoas, em matéria publicada nessa segunda-feira (6), o resultado positivo “reflete o poder transformador do esporte na vida dos estudantes”.

“Na unidade, que funciona em regime de ensino integral”, afirma o noticiário oficial, “o judô surgiu como um importante aliado para a formação dos alunos do primeiro ao quinto ano do ensino integral”.

Professor Ricardo Santos diz que o Cepa é "um celeiro" de talentos

O professor Ricardo Sérgio Santos – “por diversas vezes eleito o melhor treinador de judô de Alagoas” – coordena desde 2006 o projeto “Judô Theonilo Gama”, na escola homônima, localizada no bairro do Jacintinho. O treinamento no Cepa começou no ano passado. “A princípio”, informa a Agência Alagoas, “as atividades aconteciam apenas nas escolas estaduais Vitorino da Rocha e Teotônio Vilela, mas, este ano, estenderam-se, também, para as escolas Afrânio Lages e Princesa Isabel, contemplando 270 estudantes – todos do ensino integral.”

Diretora Nara: 'Os alunos melhoraram no estudo e no comportamento'

De acordo com a reportagem, é na escola Vitorino da Rocha, porém, que se encontra o maior número de praticantes – “mais de 100 alunos”. Para Ricardo Santos, o judô “serve como instrumento educativo”. “Ele traz dentre os seus princípios, a hierarquia e a disciplina. Aqui eles aprendem que têm de respeitar o professor, os pais e os colegas. O Cepa é um celeiro de talentos do esporte e, ano passado, alguns deles estrearam nas competições de judô. Quando eles participaram do campeonato e conquistaram suas primeiras medalhas, fizeram questão de mostrar aos seus colegas que isso foi possível graças ao comportamento e disciplina.”

Esthefany, Julie e Yasmin: as meninas também estão empolgadas

A “empolgação” dos alunos, segundo a Agência Alagoas, é generalizada. “Em sua primeira participação em uma competição local, Edson Fernandes, dez anos, foi ouro na classe sub 11.” O aluno do quinto ano não esconde o orgulho de ganhar a medalha. “Com o judô a gente aprende a lutar, mas também ficamos mais focados. Agora eu quero mais.”

As meninas também participam. Esthefany Letícia de Assis, de oito anos; Julie Melissa Barbosa, dez anos, e Yasmin da Silva Goes, 12 anos, segundo o noticiário, “não perdem uma aula do professor Ricardo”. “Aqui a gente aprende, mas também se diverte”, sentencia Julie Melissa.