Especial

Alagoas é um dos nove Estados que se destacam na preservação da Mata Atlântica

É o segundo com menor área de hectares desmatados; diretor do IMA-AL, Gustavo Lopes, diz que programas educativos ajudam a alcançar esses números

24 de Maio de 2019, 11:33

Da Redação

A Fundação SOS Mata Atlântica divulgou nessa quinta-feira (23) levantamento que faz anualmente com informações sobre a situação do bioma Mata Atlântica. Alagoas é um dos nove Estados que se destacaram positivamente no relatório que registra números referentes ao período 2017-2018.
O diretor do núcleo alagoano do Instituto do Meio Ambiente (o IMA), Gustavo Lopes, comemorou. “Nosso Estado, mais uma vez, aparece na vanguarda da sustentabilidade no Brasil. Já foi o primeiro do Nordeste a encerrar 100% dos lixões e agora, também, consegue chegar ao desmatamento zero na Mata Atlântica.”

Programas de plantio de árvores e educação ambiental favorecem à preservação da mata

De acordo com a comunicação do IMA-AL, o “desmatamento zero” ocorre quando o desflorestamento é inferior a 100 hectares (ha). “Os números são os seguintes: Ceará (7 ha), Alagoas (8 ha), Rio Grande do Norte (13 ha), Rio de Janeiro (18 ha), Espírito Santo (19 ha), Paraíba (33 ha), Pernambuco (90 ha), São Paulo (96 ha) e Sergipe (98 ha)”, destaca o informativo enviado à Redação, apontando “outros Estados” que seguem este caminho: Mato Grosso do Sul (140 ha), Rio Grande do Sul (171 ha) e Goiás (289 ha).
Para Gustavo Lopes, “isso é resultado de ação direta, não é por acaso”. “Nós fortalecemos a fiscalização, fomentamos a criação de Reservas Particulares do Patrimônio Natural, criamos programas de plantio de árvores como o ‘Alagoas Mais Verde’ e investimos em educação ambiental.”
 

Crianças aprendem a plantar árvores no IMA-AL

Ao todo são 17 Estados monitorados pela Fundação SOS Mata Atlântica. Os que mais desmatam, segundo o relatório divulgado, são cinco: Minas Gerais (3.379 ha), Paraná (2.049 ha), Piauí (2.100 ha), Bahia (1.985 ha) e Santa Catarina (905 ha).
A diretora executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, Marcia Hirota, explica que o monitoramento do bioma Mata Atlântica vem sendo realizado desde 1985. “No último ano foram destruídos 11.399 hectares (ha), ou 113 km², de áreas de Mata Atlântica acima de três hectares nos 17 Estados do bioma. No ano anterior, o desmatamento tinha sido de 12.562 hectares (125 Km²).”

De acordo com o relatório da fundação, “o resultado tem relação com ações afirmativas de monitoramento sistemático e combate ao desmatamento empenhadas por órgãos ambientais estaduais, polícia ambiental, Ministério Público e Ibama nos últimos anos”. 

Márcia Hirota informa, ainda, que o bioma “abrange área de cerca de 15% do total do território brasileiro”. “Isso inclui 17 Estados (Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe), dos quais 14 são costeiros. Hoje, restam apenas 12,4% da floresta que existia originalmente e, desses remanescentes, 80% estão em áreas privadas.”