Cultura

Exposição de Sil no Museu Théo Brandão confirma a genialidade da artista de Capela

Nascida em Cajueiro, a escultora e ceramista mudou-se para o município capelense aos 16 anos; aprendeu o ofício com o craque João das Alagoas

27 de Maio de 2019, 15:31

Da Redação

A escultora e ceramista Sil realiza na região central de Maceió, no Museu Théo Brandão (Avenida da Paz, 1.490), uma exposição de um conjunto de 12 obras que ela batizou simplesmente de “Sil”. A artista de 39 anos, nascida no município de Cajueiro, mudou-se aos 16 anos para a cidade de Capela, onde trabalhou com os pais cortando cana-de-açúcar. Depois que ingressou no ateliê do prestigiado artista popular capelense João das Alagoas, tornou-se afinal uma das escultoras em cerâmica mais bem-sucedidas do Estado. No dia 17, na abertura da mostra – que conta, ainda, com uma série de fotos sobre o trabalho que realiza desde garota, feita pelo fotógrafo Thiago Sobral –, recebeu do museu o Prêmio Gustavo Leite como “Artista Popular de 2019”. 

Foto de Thiago Sobral também compondo a exposição

Declarando-se na ocasião “feliz e emocionada”, Sil afirmou à agência de notícias do governo que não se considera “a melhor artesã”. “Aqui em Alagoas existem muitos artistas renomados. Mas me sinto orgulhosa de estar fazendo parte da sociedade artística, principalmente na minha terra.”

Sil já participou de diversas mostras de arte popular em capitais como Rio de Janeiro e São Paulo, impressionando curadores e pesquisadores de arte popular com obras primorosas, ricas em detalhes, remetendo-se sempre à cultura regional nordestina e à história do nosso povo.

Sil com o mestre João das Alagoas: aprendizado em Capela
Obra do acervo da galeria Pontes (SP)/ Foto/ Arquivo

Com obras espalhadas pelo mundo (tem clientes no México, Espanha, França, Estados Unidos), Sil conta que apesar de sua arte ter se espalhado pelo globo não deseja abandonar a cidade que a adotou e que a trilhou nos caminhos da arte popular. “Eu e Capela nos pertencemos. Ainda não me vejo morando em outro lugar”, afirma cheia de beleza e sabedoria.

“Em 2017”, aponta a Agência Alagoas, “Sil participou de uma novela da TV Globo, 'A Lei do Amor', interpretando a si mesma, contracenando com a atriz Claudia Abreu, que interpretava uma galerista.”

A escritora pernambucana Naide Nóbrega também se debruçou sobre a vida e a obra de Sil, lançando em janeiro deste ano o livro ‘Do Barro eu vim, do Barro eu sou’. A artista também foi personagem do quadro “Mulheres Fantásticas” (do programa “Fantástico”), tendo sido comparada à artista mexicana Frida Khalo (1907-1954).

“Ser comparada com Frida Kahlo parece um sonho, mas é real”, comemora a artista.