Cultura

'Jacy' aborda a Segunda Guerra e a ditadura militar através dos objetos perdidos de uma senhora de 90 anos

O diretor conta que encontrou uma bolsa numa das avenidas mais movimentadas de Natal (RN); peça terá apresentação gratuita nesta sexta-feira e sábado (27 e 28)

27 de Setembro de 2019, 08:55

Da Redação

O grupo Carmin, do Estado do Rio Grande do Norte, apresenta em Maceió, nesta sexta-feira e sábado (27 e 28), no Teatro Deodoro, o espetáculo “Jacy”. Sucesso de crítica, indicado às principais premiações de teatro do país, “Jacy” conta a história real de uma mulher de 90 anos, cujos pertences foram encontrados pelo ator e dramaturgo Henrique Pontes, diretor do espetáculo que será apresentado gratuitamente a partir das 20h. O público deve chegar uma hora antes para retirar o ingresso na bilheteria do teatro à rua Barão de Maceió, 375, Centro.

Henrique Pontes conta que encontrou os objetos de Jacy, a mulher que dá título à peça, dentro de uma frasqueira abandonada, em março de 2010. “Achei a bolsa dessa senhora na esquina de uma das principais avenidas de Natal [capital do RN].”

“Em uma hora de espetáculo, o grupo convida a plateia a acompanhar a vida extraordinária de uma mulher aparentemente comum, que atravessou a Segunda Guerra Mundial, a ditadura no Brasil, esteve no centro de um importante conflito da política no Rio Grande do Norte, viveu um amor estrangeiro e terminou seus dias sozinha em Natal”, destaca o informativo enviado à Redação.

Para o diretor e dramaturgo, a peça “envolve as pessoas tanto pela temática quanto pela sensibilidade”. “É uma obra muito política e necessária. A peça de teatro documental transita entre a história, a poesia e a política. ‘Jacy’ já passou de 200 apresentações e permanece sendo muito requisitada.”

O grupo potiguar está em tempora com “Jacy” há seis anos, tendo passado “quase todos os Estados brasileiros”. É primeira vez que se apresenta em Maceió.