Especial

Luciano Barbosa assina ordem de serviço para construção de escola indígena em Palmeira dos Índios

Vice-governador secretário de Estado da Educação e cacique Manoel Celestino se encontram em cerimônia no município, celebrando acordo para início das obras

30 de Setembro de 2019, 10:38

Representantes da comunidade indígena (dos povos wakóna xukuru-kariri), que fica na Serra do Capela, no município de Palmeira dos Índios a 136 km de Maceió, participaram na sexta-feira (27) da cerimônia de assinatura de ordem de serviço para a construção da nova estrutura da Escola Estadual Indígena Cacique Alfredo Celestino. Além do vice-governador e secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, estiveram presentes à reunião o prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cézar; o secretário municipal da pasta de Educação, Manassés Soares Filho; a gerente regional de Educação, Claudean Ferro e representantes da empresa licitada para obra e da comunidade palmeirense.

De acordo com o site do governo, a Agência Alagoas, o cacique Manoel Celestino “agradeceu o empenho da Secretaria de Estado da Educação”. “A unidade será a terceira escola indígena já construída pelo Estado e conta com quatro salas de aula, sala da direção, cozinha, sala dos professores, biblioteca com laboratório de informática e pátio”, destacou o noticiário oficial.

'Meu pai lutou pela educação do nosso povo e hoje o sonho dele é realizado', diz indígena

“Outras duas unidades já foram construídas nas cidades de São Sebastião e Pariconha. Está prevista a construção de novas unidades em outros municípios.”

Luciano Barbosa afirmou que a construção da escola indígena em Palmeira dos Índios “é uma reivindicação antiga da comunidade”. “Foram cerca de 15 anos sem investir nas escolas indígenas e agora o governo do Estado vai construir a terceira unidade, sem contar as reformas já realizadas.”

Celebrando a assinatura com uma canção indígena na língua nativa, Manoel Celestino disse que a escola “é um sonho antigo da comunidade”. “Esse momento é muito importante para a educação, para o índio e para o não índio. Isso é uma das melhores coisas que o Estado está fazendo. O cacique Alfredo Celestino, meu pai, lutou pela educação de nosso povo e hoje o Estado está realizando esse sonho dele.”

O prefeito Júlio Cézar destacou o método indígena de educação. “Eles têm um modelo que é movido pela cultura, costumes e tradições.”