Cultura

Wilma Miranda está de volta ao Teatro Deodoro com as canções de 'doer o coração'

Cantora estrela nova edição do programa 'Jazz Panorama ao Vivo', nesta quarta-feira (30), a partir das 20h; privilegiando compositores alagoanos, diz que eles 'não ficam nada a dever a Chico Buarque'

30 de Outubro de 2019, 17:46

Sebage

A cantora Wilma Miranda é a estrela da edição de outubro do programa “Jazz Panorama ao Vivo”, nesta quarta-feira (30), às 20h, no Teatro Deodoro. O show comemora os 50 anos de carreira de Wilma, que faz o lançamento de um surpreendente primeiro CD, o álbum “Mar de Vazão”. Os ingressos, a R$ 20 e R$ 40, estão disponíveis na bilheteria do teatro à rua Barão de Maceió, 375, centro da capital.

Privilegiando a canção alagoana, a cantora selecionou composições de Ibys Maceioh, Júnior Almeida, Mácleim Carneiro e Chico Elpídio, além de seu irmão Wallace Miranda, que escreveu música especialmente para esse show. “Ele compôs uma música para a minha vida”, entusiasma-se Wilma, afirmando que os compositores da terra “não ficam nada a dever a Chico Buarque”. “E olha que o Chico é a minha tara, vou morrer apaixonada por ele.”

Wilma Miranda e Leureny Barbosa: amigas e parceiras musicais de longa data

Em uma palavra, Wilma resume o que sente em relação a essa nova produção. "Uma maravilha." Diz que selecionou "as coisas" que gosta. "Não vou dizer tudo porque nem dava, mas fiquei impressionada com os nossos compositores”, reconhece a cantora, que há três anos, quando realizou – junto com outra diva da canção, a amiga Leureny Barbosa – o show “Entre o Copo, a Vitrola e a Fumaça”, não dava muita bola para os nossos criadores, ligada como sempre foi aos clássicos de Chico e Tom Jobim. Mas mudou de ideia. “Esse pessoal daqui tem um trabalho magnífico”, derrama-se, avisando que “para conhecer uma música”, tem de cantá-la primeiro. “Tem de doer no coração. Quando a canção entra em mim, eu digo, ‘é essa música’."

Sobre a canção do irmão Wallace, “Uma Lágrima”, afirma que “tem o mesmo balanço de ‘A Solidão’, de Chico Elpídio.” Chico Buarque, é claro, também está no repertório, além de Tom Jobim, Cartola e Ary Barroso. Participam, ainda, do show, as cantoras Leureny Barbosa e Elaine Kundera.

Como de praxe, o Clube do Jazz faz a abertura. Nessa edição do “Jazz Panorama ao Vivo”, compõem a banda os músicos Félix Baigon (contrabaixo), Jiuliano Gomes (teclado), Misso Ferreira (teclado), Allyson Paz (bateria), Jailson Britto (saxofone) e Wilbert Fialho (violão e guitarra), este responsável pela direção musical. A produção é de Weldja Miranda. O pesquisador de jazz Juan Maurer faz as apresentações.

O “Jazz Panorama ao Vivo” tem patrocínio da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (a Fmac). Imperdível.