Especial

Doméstica volta a caminhar graças ao trabalho da equipe 'Preparando a Volta para Casa'

Projeto foi adotado pelo Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca

20 de Novembro de 2019, 08:39

Davi Salsa/ Assessoria 

Depois de passar mais de cinco meses sem caminhar, a dona de casa Maria de Fátima Vieira, 45 anos, moradora do bairro Santa Cecília, no município de Penedo (distante 146 km ao sul de Maceió), realizou esta semana o maior sonho de sua vida: voltar a andar pela casa e arredores de sua residência.

“Caminhar novamente está sendo motivo de muita alegria e felicidade para mim”, relata Maria de Fátima, sem esconder a emoção. Ela chegou até a fazer promessas para Frei Damião e Padre Cícero.

A dona de casa está no grupo dos 220 pacientes sequelados que foram assistidos ou ainda são acompanhados pela equipe do projeto de humanização “Preparando a Volta para casa”, adotado pelo Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca.

Maria de Fátima foi assistida no Hospital de Emergência do Agreste

Maria de Fátima Vieira sofreu um acidente de moto, em março deste ano, perdendo os cinco dedos do pé direito. “Passei quase dois meses internada no hospital, recebi o carinho da equipe e hoje, após sete meses do acidente, estou voltando a ter mais alegria pela vida”, declarou.

A paciente ainda será submetida a outra cirurgia, para a retirada dos pinos e colocação de uma prótese. Para tanto, a equipe responsável mantém contatos com as secretarias de Assistência Social, Saúde e Obras dos municípios onde residem os pacientes.

Psicóloga Mônica Leal,  diz que uma das propostas do projeto é humanizar os serviços

Nas cidades onde funciona o Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD), os profissionais do HE do Agreste também trabalham de forma conjunta. Implantado no ano de 2014, o projeto de humanização foi formado, em sua maioria, por voluntários que colaboravam com a equipe multiprofissional do HE do Agreste, incluindo médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, cirurgiões, assistentes sociais e enfermeiros.

O grupo conta com o apoio da professora-doutora Ana Paula Nogueira, da Universidade Federal de Alagoas (a Ufal), campus de Arapiraca. Desde fevereiro que o projeto passou por reformulação e recebeu novos profissionais de saúde, ampliando para 30 o número de pessoas que realizam as visitas e o acompanhamento nas residências dos pacientes sequelados.

De acordo com a coordenadora do “Preparando a Volta para Casa”, a psicóloga Mônica Leal, antes de fevereiro de 2019 o grupo assistia apenas a pacientes com sequelas neurológicas. “Com a ampliação do projeto, este ano passamos acompanhar pacientes com sequelas ortopédicas, emocionais e sociais.” 

Mônica destaca, ainda, o apoio da gerente-geral do HE do Agreste, médica Regiluce Santos, e da Secretaria de Estado da Saúde. “O objetivo do nosso projeto é preparar a adaptação do ambiente familiar à rotina e às novas necessidades do paciente que sofreu algum tipo de lesão grave ou funcional, que permanece mesmo depois de completada a evolução clínica. Isso para que o indivíduo tenha assegurado um cuidado humanizado em sua residência."