Cultura

Coletivo Nóis Q Faiz celebra cinco anos de cultura hip-hop na periferia de Maceió

Em parceria com a Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (a Diteal), grupo leva a cultura de rua para o jardim do Teatro Deodoro, na quinta-feira (5), a partir das 14h; entrada franca

03 de Dezembro de 2019, 16:04

Da Redação

“Hoje é Dia de Hip-Hop” é o evento que o coletivo Nóis Q Faiz (NQF) realiza na quinta-feira (5), a partir das 14h, para comemorar os cinco anos de atividades do grupo de cultura hip-hop. A festa conta com a parceria da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (a Diteal) e acontecerá no jardim do Teatro Deodoro à rua Barão de Maceió, 375, centro da capital. A entrada é gratuita.

“O NQF tem uma parceria duradoura e assertiva com a Diteal, trazendo a juventude da periferia para os instrumentos culturais, integrando a pluralidade artística da produção local”, destaca o informativo da Diteal enviado à Redação. Fundador do coletivo e um dos organizadores do evento, Nando Rozendo – conhecido também como MC Tribo – reconhece que a parceria “possibilita a conquista de espaços tradicionais da cultura alagoana, onde não somente o Nois Q Faiz marca presença, mas, também, outros grupos e agentes culturais do nosso Estado, produzindo e fazendo acontecer”.

MC Tribo: 'São cinco anos de muita luta, resistência e conquistas. É hora de celebrar'

MC Tribo classifica esses cinco anos do Nóis Q Faiz como “tempo de muita luta, resistência e conquistas”. Para o artista, o trabalho para trazer o reconhecimento da cultura do hip-hop “é complicado”. “Mas é prazeroso, uma vez que a vivência é compartilhada. E é hora de celebrar as conquistas que conseguimos através da produção e fomento da cultura de rua no Estado de Alagoas.”

No comando das atrações programadas para quinta-feira, o DJ Obama – cujo trabalho é focado na difusão da cultura jamaicana – convidou Alice Gorete, MV, Talentos da Periferia, GDP, Poder Paralelo, Mamiwata e outros artistas e grupos envolvidos com o trabalho do NQF. “É um movimento da cena hip-hop local, abrindo espaço para apresentações artísticas e se tornando um espaço de convivência e diálogo entre os jovens da capital”, afirma MC Tribo.