Cultura

Oficina 137 apresenta novo tributo a Jim Morrison e propõe bibliotecas em bairros da capital

O cantor Paulo Sérgio espera receber ajuda dos comerciantes locais que deverão manter os equipamentos; livros deverão ser doados como ingresso do show que ocorrerá na sexta-feira (20), no Teatro de Arena

13 de Dezembro de 2019, 10:06

Sebage/ Editor

Paulo Sérgio Bran, o intrépido vocalista e compositor da banda Oficina 137, fã e divulgador da obra de Jim Morrison e The Doors, estreia o projeto “Queremos o Mundo e o queremos agora”, na sexta-feira (20), no Teatro de Arena Sérgio Cardoso – o anexo ao Teatro Deodoro à rua Barão de Maceió, 375, centro da capital. O título do projeto/show que o publico verá na próxima semana não por acaso foi inspirado numa canção dos Doors, “When the Music is over” (“We want the world and we want it… Now”). “O objetivo é criar bibliotecas nos bairros de Maceió, especialmente aqueles mais carentes”, propõe Paulo Sérgio Bran. À frente do Oficina 137, apresentará no Teatro de Arena seu bem sucedido tributo à banda californiana – que ele vem apresentando em casas de shows da capital, mas agora com repertório de novas canções. Começa às 20h e o ingresso custa R$ 15 mais a doação de um livro – que pode ser novo ou usado.

Paulo César Bran escreve musical sobre Morrison

“Precisamos ajudar as pessoas com a cultura e o conhecimento”, diz Bran, explicando os objetivos do projeto “Queremos o Mundo”. “Serão bibliotecas comunitárias, a ideia é alugar pequenas casas e transformá-las em biblioteca.”

Contando com a solidariedade do “comerciante do bairro”, Bran calcula que, em cada localidade, um grupo de dez comerciantes pode dar conta do recado. “Vou trabalhar com a iniciativa privada – não tem nada a ver com o município ou o Estado. O aluguel de uma casinha dessas num bairro popular está em torno de R$ 200 a R$ 300. O pessoal da banda está apoiando e conto, também, com o apoio de vocês, da imprensa.”

O show de sexta-feira, além das novas canções acrescentadas ao tributo do Doors, terá declamações de algumas poesias do músico e bardo da Flórida (EUA), nascido na cidade de Melbourne, no ano de 1943. Morrison morreu aos 27 anos, em Paris em 1971, segundo o atestado de óbito, por “insuficiência cardíaca” – embora não tenha sido feita a necropsia, e esta é mais uma lenda que envolve um irresistível astro de rock.

Manjaro, Bran, Matos, Félix e Wallays: o Oficina 137, estreando novo tributo aos Doors

Paulo Sérgio Bran também prepara um musical sobre a vida do cantor, baseado no livro “Jim Morrison: Life, Death, Legend”, do jornalista e historiador novaiorquino Stephen Davis, de 72 anos. Bran diz que o espetáculo da semana que vem “é puma prévia da peça”, que deverá estrear no início de 2020. O ator Lucas Rafael, que interpretará Morrison, declamará algumas poesias do Rei Lagarto.

A banda Oficina 137 é Paulo Sérgio Bran (vocal), Wallays (guitarra), Wedson Félix (contrabaixo), Adelson Manjaro (teclado) e Alex Matos (bateria).