Especial

Aromaterapia ajuda gestante a relaxar antes e depois do parto

Rosiane Oliveira, doula do Hospital da Mulher, fala sobre a importância de espalhar olhos essenciais no quarto da parturiente

13 de Janeiro de 2020, 08:58

Marcel Vital/ Agência Alagoas

A aromaterapia é uma prática que proporciona sensação de bem-estar, tanto física quanto psicológica, com a utilização de óleos essenciais. Ela mostra que há ligações entre o olfato e os sentimentos. Então, para ajudar a aliviar um possível desconforto – um ambiente com aromas agradáveis pode ser fundamental para a gestante se sentir tranquila e relaxada –, enquanto espera a chegada de seu bebê no Hospital da Mulher Doutora Nise da Silveira (o HM), localizado no bairro Poço, região central de Maceió. Isso porque, alguns cheirinhos suaves podem ajudar a proporcionar uma ótima sensação de aconchego.

Rosiane Oliveira, doula (que dá apoio físico e emocional à mulher em trabalho de parto) do HM e também aromaterapeuta, atua no Centro de Parto Normal da unidade hospitalar. Ela diz que os óleos essenciais – utilizados nos difusores de ar na parte de deambulação e nos quartos de pré-parto, parto e pós-parto –, são extraídos da destilação de várias partes da planta, como folhas, casca de frutas, casca do tronco e até da própria raiz.

De acordo com Rosiane, ao inalar os aromas, os canais olfativos mandam a mensagem diretamente para o sistema límbico, a parte do sistema nervoso que é responsável pelas emoções. Depois disso, o cérebro reage às propriedades aromáticas, modificando o humor ou o estado de espírito da gestante. “Os óleos essenciais vão trabalhar tanto no plano físico como no emocional dessa gestante, pois eles agem no sistema límbico. Não tem como pensarmos no tratamento físico e dissociarmos o tratamento emocional. Hoje em dia, a psicossomática, que é uma ciência interdisciplinar gerando diversas especialidades da medicina e da psicologia, tem mostrado o quanto as nossas doenças estão interligadas com as nossas emoções.”

'Aromas trabalhan tanto no plano físico como no emocional', diz doula

A aromaterapia, conforme a doula do HM, tem como favorecer um trabalho de parto mais tranquilo e, consequentemente, um ambiente mais acolhedor, pois os óleos essenciais, a exemplo da lavanda, são muito utilizados quando a gestante está estressada, com medo, não conseguindo se entregar totalmente para o momento do parto. “É um óleo que é um ansiolítico natural, trazendo calma, tranquilidade”, explicou.

Já num momento em que a equipe percebe que a gestante está triste, sozinha, se sentindo acuada, Rosiane Oliveira acrescenta que o mais indicado é trabalhar com óleos cítricos, que tragam alegria e positividade para o momento do parto, como, por exemplo, o de limão ou da laranja. “Já num trabalho de parto em fase avançada, podemos atuar com o óleo essencial de salvia esclareia, que ajuda no momento final de trabalho do parto.”

Vale destacar que a aromaterapia é uma prática reconhecida pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, instituída pelo Ministério da Saúde no Sistema Único de Saúde (o SUS) em 2018.