Especial

IMA apura denúncias de ocupações irregulares na Área de Proteção Ambiental de Fernão Velho e Catolé

Técnicos alertam para o perigo da ocupação em áreas de preservação e divulgam telefone e e-mail, contando com a ajuda da população

27 de Julho de 2018, 13:36

A equipe do Instituto do Meio Ambiente (IMA) apurou denúncias de ocupações irregulares nas margens da laguna Mundaú, dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) de Fernão Velho e Catolé. Os técnicos da Diretoria de Unidades de Conservação alertam a população para denunciar flagrantes de crimes ambientais também nos locais onde há forte pressão urbana para ocupação.

Os técnicos foram ao local na sexta-feira (6) da semana passada, após receber denúncias de que moradores estariam aterrando margens para construção. A equipe encontrou situações que já haviam sido identificadas. “A área está em constante monitoramento e há processos abertos no IMA. A obra denunciada está paralisada, mas é importante também considerar que algumas ocupações estão ali há cerca de 30 anos”, comentou Pedro Normande, chefe da APA do Catolé.

Segundo Alex Nazário, diretor de Unidades de Conservação do IMA, o aterro das margens da laguna, assim como o desmatamento e a deposição irregular de resíduos, contribui para agravar os problemas de assoreamento. “O cuidado naquela região deve ser constante não apenas porque está dentro de uma APA, mas pela importância que a laguna tem, inclusive para a sobrevivência de muitas pessoas.”

Ele informou ainda que o IMA conta com a parceria do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), que dispõe de equipe e veículo próprio para monitorar a área. A população pode denunciar, ligando para o número 0800 082 1523 ou enviando e-mail para info@ima.al.gov.br.