Especial

Feira dos Municípios traz a diversidade cultural do Estado e oferece oportunidades de negócios

Evento começa nesta quinta-feira (23); prefeito de Jequiá da Praia, Marcelo Beltrão, responsável pelo evento, diz que todo o Estado participará

27 de Julho de 2018, 13:36

A oitava edição da Feira dos Municípios começa nesta quinta-feira (23), seguindo até o domingo (26), no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, localizado no bairro do Jaraguá. De acordo com o prefeito de Jequiá da Praia Marcelo Beltrão, presidente da Associação dos Municípios de Alagoas (a AMA), responsável pelo evento, a solenidade de abertura, às 18h, contará com a presença do ministro da Educação Aloizio Mercadante. Segundo Beltrão, o ministro percorrerá todos os 60 estandes da feira, participando da premiação da competição escolar “Caldeirão de Letras”.

“Está tudo preparado para a feira. Saímos de lá ontem [terça-feira, 20] às 10h da noite, com o pessoal já ornamentando os estandes. Não vai ter problema”, afirmou Marcelo Beltrão, por telefone, nesta manhã de quarta-feira (22). Ele esclarece que, embora o número de estandes seja 60, todos os 102 municípios do Estado participarão. “Por exemplo, um município que não montou estande, está mandando um grupo de folclore para as apresentações culturais. Outro município manda só a musa.”

Musa? Isto mesmo. Trata-se do concurso “Musa dos Municípios”, que já virou uma marca da feira e que este ano, no sábado (25), contará com 40 meninas desfilando em trajes de banho e de gala.

A programação cultural, com apresentações de grupos folclóricos e representantes de outros segmentos artísticos (música, dança, teatro) dos municípios, é outro ponto alto do evento. “Já na abertura, das 18h às 22h, teremos essas apresentações a cada 20 minutos. Nos outros dias, as atrações culturais e artísticas dos municípios ocorrerão também de 20 em 20 minutos, das 15h até as 22h. A verdade é que faltaram espaço e tempo para todas as manifestações culturais que os municípios queriam levar à feira”, relaciona o prefeito de Jequiá da Praia, observando que esse é “um grande momento” para os municípios fazerem negócios.

“Na área de gastronomia, artesanato, o município que tem um potencial turístico – tudo isso pode ser negociado. Mesmo que não se feche o contrato na feira, visitas serão agendadas e quem estiver interessado vai lá na cidade, come um peixe, toma uma cerveja e faz o negócio.”

Beltrão enfatiza que “cada município tem um potencial”. “Na minha cidade, por exemplo, em Jequiá da Praia, que tem um meio ambiente extraordinário, há um turismo efervescente. Precisamos mostrar isso. Em Coruripe – eu falo dessas cidades porque é a minha região –, o artesanato feito com a folha do ouricuri já tem um comércio forte, que exporta. Em Feliz Deserto há o artesanato feito com a folha da taboa. Tudo isso vai gerar negócios.”