Especial

Instituto do Meio Ambiente intensifica ações de fiscalização e conscientização na 'prainha' da Barra Nova

Segundo banhistas, lixo provoca morte de tartarugas e veículos tracionados são ameaças que ignoram a proibição legal

27 de Julho de 2018, 13:36

O Instituto do Meio Ambiente (IMA) informa que intensificará as ações de conscientização e fiscalização na “prainha” da Barra Nova, no município de Marechal Deodoro, que fica a 30 km de Maceió. “Com apoio do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), teve início a sensibilização dos usuários sobre a proibição do tráfego de veículos motorizados no local, inserido na Área de Proteção Ambiental (APA) de Santa Rita”, informa a Comunicação do IMA, nesta quinta-feira (23), no site da Agência Alagoas.

De acordo com o informativo do governo, a equipe da Diretoria de Unidades de Conservação conversou com banhistas no último final de semana. “Nesse primeiro momento, a ação é educativa, de sensibilização sobre a importância da biota local”, esclareceu a chefe da APA de Santa Rita, Lana Ingrid.

A Agência Alagoas afirma que entre os principais problemas identificados durante a ação do IMA está o trânsito de veículos tracionados e quadriciclos. Segundo o site, tais veículos trafegam naquela região “alheios à proibição legal e à destruição da vegetação de restinga e ninhos de ovos de tartarugas”. 

“Além disso”, continua o site, “os banhistas informaram que tartarugas aparecem mortas por causa do lixo deixado no local”. De acordo com o IMA, moradores da região estariam matando intencionalmente os organismos conhecidos como cebolas marinhas e ainda “suprimindo a vegetação nativa, substituindo-a por coqueiros”. Além disso, embarcações são atracadas de modo inadequado, expondo as pessoas a riscos diversos.

O site oficial do governo avisa que no dia 6 de fevereiro haverá uma reunião do Conselho Gestor da APA de Santa Rita para discutir o assunto. “Serão avaliadas propostas como a colocação de placas informativas e de piquetes para impedir o acesso dos veículos”, informa a Agência Alagoas. O diretor-presidente do IMA Adriano Augusto diz que é preciso “agilizar as ações, com apoio e participação das organizações que compõem o Conselho Gestor”. 

A Marinha do Brasil, a prefeitura de Marechal Deodoro e o Batalhão de Polícia Ambiental serão convidados para essas ações de fiscalização.