Especial

Agricultores de fazendas em Porto Calvo assinam contratos de casa própria com a Caixa Econômica

Programa do governo federal que integra o 'Minha Casa, Minha Vida' chega a Porto Calvo

27 de Julho de 2018, 13:36

PORTO CALVO – Os agricultores das fazendas Lomba, Vassourinha e Santa Quitéria assinaram, nesta segunda-feira (27), contrato para a construção de 20 casas populares pelo Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), do governo federal. O PNHR integra outro programa federal, o bem sucedido “Minha Casa, Minha Vida”, e tem o objetivo de diminuir o déficit rural, fornecendo recursos da União à reforma e construção de casas para agricultores familiares e trabalhadores rurais. A assinatura dos contratos dos trabalhadores com a Caixa Econômica ocorreu no centro administrativo da prefeitura de Porto Calvo, à rodovia AL 101-Norte.

A Comunicação do município, distante 96 km de Maceió, divulgou que as obras devem iniciar “já no mês de fevereiro”. Antônio Borges dos Santos, de 59 anos, declarou que o contrato com a Caixa “é uma grande riqueza”. “Estou há muito tempo trabalhando no campo e nunca conseguir morar numa casa digna, mas agora meu sonho será realizado. Estou muito feliz”, afirmou o agricultor.

O agricultor Antônio Borges dos Santos: realizando o sonho da casa própria

Rosimeire da Silva Oliveira, 33, disse estar “muito feliz” e que “a alegria será ainda maior na entrega da casa”. De acordo com a prefeitura, os agricultores pagarão quatro parcelas de R$ 285 anuais, a partir de 2015 até 2018.

O informativo do município afirmou que o “representante da prefeitura” Sérgio Papini agradeceu “o trabalho” da Caixa Econômica e das secretarias municipais de Infraestrutura e Assistência Social. O gerente da Caixa em Porto Calvo, Samuel Reis, informou que as 20 primeiras casas fazem parte do primeiro lote do PNHR e que em breve serão construídas mais 23 domicílios nas mesmas localidades, além de 90 casas populares na fazenda Canaã.