Especial

Fórum de Teatro de Maceió faz mapeamento sociocultural de artistas do Estado

Objetivo é ajudar 'na mobilização para melhorar as propostas de auxílio à categoria' nesse período de estagnação econômica por conta da pandemia do coronavírus

11 de Maio de 2020, 11:14

Da Redação

O Fórum de Teatro de Maceió (FTM) está realizando um mapeamento sociocultural dos artistas e técnicos informais de artes cênicas em todo o Estado. De acordo com o informativo enviado à Redação, a ação “tem ajudado na mobilização para melhorar as propostas de auxílio à categoria, que foram enviadas por carta no dia 31 de março aos órgãos públicos”.

“Na carta”, informa o press-release, “são apresentadas as demandas sociais, econômicas e jurídicas do segmento teatral, que teve suas atividades paralisadas diante dos impactos causados pela covid-19.”

O objetivo, segundo o FTM, “é chamar atenção do poder público às questões próprias dos trabalhadores da arte e cultura, propondo aproximação e diálogo constante”. “Para ampliar o mapeamento dos impactos causados foi lançado um formulário de pesquisa sociocultural para as pessoas que desenvolvem projetos, trabalhos e outras atividades dentro das artes cênicas. O resultado vai ajudar na construção e melhoria das propostas que atendam as reais necessidades dos nossos artistas e técnicos informais. A ação conta com o importante auxílio das comunidades no mapeamento dos artistas.”

Colocando-se lado a lado de coletivos como a Articulação de Trabalhadores das Artes da Cena pela Democracia e Liberdade (Atac) e a Movimentação Organizada de Trabalhadores de Teatro do Nordeste (Pavio), o Fórum de Teatro de Maceió afirma ser “fruto do processo de rearticulação dos trabalhadores do Teatro, inicialmente unificados contra a criminalização dos artistas e da arte e o desmantelamento das políticas públicas de cultura protagonizados pelo desgoverno Bolsonaro”. “Agora concentramos todos os nossos esforços na luta por medidas governamentais que garantam a sobrevivência de artistas e técnicos em tempos de pandemia.”

O FTM afirma, ainda, que “sua presente configuração é fruto de um processo de articulação de inúmeros trabalhadores do teatro nessa última década, tendo como marco inicial o ‘Abraço ao Teatro Deodoro’, ato que conquistou a reabertura do teatro oficial do Estado”. “O fórum é formado por atores e atrizes sociais presentes nos principais acontecimentos políticos locais e nacionais de luta por políticas culturais democráticas e participativas nos últimos anos e por novas gerações que se incorporam e revigoram nossas lutas.”

Artistas e produtores de teatro podem acessar o formulário do mapeamento aqui.