TV Boreal

Andréa Laís e a banda MesaSonora lançam vídeoclipe produzido virtualmente

Antes da quarentena, cantora fazia doutorado em Salvador (BA), onde acabou integrando o grupo que gravou a canção 'História cantada'

19 de Maio de 2020, 10:23

Júlya Rocha/ Assessoria Secult

Não há como negar que a velha rotina foi totalmente transformada. A corrida entre trabalho, estudos e casa virou de cabeça para baixo. Em meio à solidão causada pelo isolamento social e às medidas de quarentena impostas para a população, a música pode ser uma grande aliada.

“Acredito que fazer música é uma prática muito coletiva, uma experiência de partilha”, diz a cantora Andréa Laís. “Por isso, além das dificuldades estruturais e econômicas, comuns a várias atividades profissionais nesse momento. Nós músicos estamos enfrentando o desafio de reinventarmos maneiras de fazer música juntxs, cada um em suas casas.”

Mesmo sem a estrutura convencional, a vontade de produzir faz as ideias aflorarem. “A maioria de nós”, reconhece a artista, “tem pouca estrutura caseira para fazer um,a boa gravação. A coisa boa é que, a despeito de tudo isso, a gente se reinventa para sobreviver. Falo sobrevivência porque precisamos continuar fazendo músicas juntxs para continuarmos seguindo, saudáveis, respirando. Quem tem uma relação visceral com o fazer artístico sente essa necessidade. Muitas vezes intensificada em tempos de distanciamento social.”

Assista ao vídeoclipe da MesaSonora

A cantora faz parte, também, da banda MesaSonora, que recentemente lançou um vídeoclipe, feito em casa, de uma canção composta pelo grupo, “História cantada”.

“MesaSonora é uma banda que faço parte há pouco mais de um ano lá em Salvador [BA], quando me mudei para fazer um doutorado. Nós tocamos juntxs desde então e nos encontramos semanalmente em tempos normais. Com a pandemia, eu daqui de Maceió e eles em suas casas em Salvador, depois de algumas semanas difíceis de silêncio e adaptação, pensamos em gravar algo juntos. Matar um pouquinho da saudade”, afirma a cantora, explicando o processo para gravação. “Um dos membros da banda tem um bom equipamento em casa para gravação e mixagem de áudio, mas os outros três, incluindo eu, gravamos do celular mesmo, tentando um ambiente o menos barulhento possível.”

O processo de gravações, segundo Laís, começa pelas guias (a guia pode ser qualquer um dos instrumentos usados pela banda, ou a própria voz). “Depois todos os outros vão gravando a partir dessa guia suas participações na música”, ela explica. “Juntamos os áudios e mixamos. Primeira etapa concluída. Depois gravamos vídeos fazendo a mesma coisa, mas desses vídeos só usamos as imagens, sem o som. Um grande parceiro da banda fez a edição final, juntando os nossos vídeos caseiros e o áudio com a música.”