Especial

Segurança reforça fiscalização em locais com maior número de casos confirmados de covid-19

Bares, restaurantes, atividades esportivas ou aglomerações em áreas públicas são as principais denúncias recebidas

26 de Maio de 2020, 09:25

Vanessa Siqueira/ Agência Alagoas

A Secretaria de Estado da Segurança Pública apertou o cerco para fiscalizar e conscientizar a população alagoana sobre a necessidade de manter o isolamento social. Em ação conjunta, as Polícias Civil e Militar intensificaram a fiscalização para garantir o cumprimento do Decreto nº. 69.844, com atenção especial às áreas que apresentem maior incidência da covid-19 nos municípios alagoanos, principalmente em Maceió, cidades da região metropolitana e em Arapiraca, que atualmente concentram o maior número de casos confirmados.

Força-tarefa está nas ruas para fazer cumprir decreto

O Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde, fornece os dados relativos à quantidade de casos e estas informações têm sido base para as estratégias adotadas pelas forças policiais. O secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, explica que além das operações que já vinham sendo realizadas, o foco agora é fiscalizar e monitorar essas áreas, realizando mais operações e outras ações. Ele destaca que os municípios têm sido parceiros em tais fiscalizações, fortalecendo o trabalho realizado.

“Estamos em uma batalha intensa e integrando esforços para conseguir cumprir o que prevê o decreto, além de conscientizar sempre a população para a necessidade de evitar aglomerações e utilizar máscaras. Contamos, também, com o apoio da sociedade alagoana do bem para denunciar aqueles que estejam descumprindo as determinações governamentais. As pessoas podem utilizar o Disque-Denúncia 181 ou acionar as polícias por meio do número 190”, ressaltou.

'Estamos numa batalha intensa', diz secretário da Segurança Pública Lima Júnior

O decreto prevê punições para quem descumprir qualquer uma das medidas, como a aplicação de multa diária de até R$ 50 mil e a prisão de quem for encontrado em flagrante delito.