Cultura

Artesã e professora Vânia Maria é condecorada por organização internacional de folclore

A premiação aconteceu virtualmente nessa terça-feira (15); agradecendo a honraria, a artista disse que a cultura está em seu sangue

16 de Setembro de 2020, 08:53

Da Redação

A artesã Vânia Maria de Oliveira, mestra do Patrimônio Vivo de Alagoas desde 2015, recebeu nessa terça-feira (15) a condecoração “Mestra Imortal do Brasil”. A honraria foi entregue à artista e professora de arte pela Organização Internacional de Folclore e Artes Populares (IOV. Também foram homenageadas, em cerimônia virtual, os folcloristas Maria José Colares (professora, MG), Maria Nazaré do Ó Ribeiro (mestra de carimbó, PA) e José Maria de Paula Almeida (mestre do maracatu, CE).

“Daqui do grupo eu creio que a mestra Vânia é a única que ainda não conheci pessoalmente”, afirmou o presidente da IOV, Clerton Vieira, revelando ter conversado apenas “virtualmente” com a artesã. “Mas é como se a gente já se conhecesse há muitos anos. Nada acontece por acaso e por isso vai o nosso reconhecimento à mestra Vânia pelo trabalho que realiza em Alagoas há mais de 35 anos na defesa da cultura popular.”

Vânia Maria trabalha com papel, bordados e trançados de palha de taboa, entre outros

A produção artesanal de Vânia Maria de Oliveira – modelagem com jornal velho, bordados, trançados de palha de taboa, chapéus de guerreiro, estandartes, livros de pano – remete a diversos tipos de manifestações populares, como o guerreiro e o pastoril. “No colorido e na simplicidade do acabamento de suas peças, facilmente identificamos seu entusiasmo pela valorização e preservação das brincadeiras e fazeres populares: o chitão, o jogo, a dança, o trançando, os espelhos, a modelagem e até a oralidade estão presentes em seu trabalho, tratados de forma bem brejeira e marcante”, destaca o site da Secretaria de Estado da Cultura (a Secult).

A solenidade de premiação transmitida pelas redes sociais abre as celebrações de 40 anos da Organização Internacional de Folclore e Artes Populares, que há 30 anos atua no Brasil. “Pra mim é muito orgulho”, declarou Vânia Maria. “Eu demorei muito pra saber que existia IOV. Quando descobri, vi que aqui é o meu lugar, porque a cultura realmente está no meu sangue. Sou uma defensora da cultura popular e estou feliz pelo reconhecimento.”