Turismo em Pauta

Falta de estrutura hoteleira emperra o desenvolvimento do turismo na histórica cidade de Penedo

Para consolidar Penedo como polo turístico, e com isso gerar mais emprego, e renda, precisa-se construir mais hotéis e pousadas na cidade

25 de Outubro de 2020, 16:38

Ivaldo Pinto é jornalista

Penedo, às margens do Rio São Francisco, tem tudo para ser um dos grandes polos turísticos de Alagoas. Mas há um entrave: falta de estrutura hoteleira. Não há leitos suficientes para atender a demanda de turistas, em especial grupos. Para se ter uma ideia, a cidade dispõe apenas de dois bons meios de hospedagem: o tradicional Hotel São Francisco e a Pousada Colonial, ambos localizados no centro histórico.  

O Hotel São Francisco tem história. Foi nele que aconteceu, de 1975 a 1982, o Festival de Cinema Brasileiro de Penedo, fato que projetou a cidade em nível nacional. Com o declínio dos cinemas no Brasil, o Cine São Francisco foi desativado; permaneceu fechado por alguns anos e, depois, virou igreja evangélica. Atualmente foi revitalizado e transformado em moderno centro de convenções, com 1.100 lugares. 

Essa encantadora e agradável cidade, no Sul de Alagoas, distante 148,9 km de Maceió, possui um imponente conjunto arquitetônico com construções que datam do século 17 – um museu a céu aberto. Tem, ainda, o privilégio de ser banhada pelo majestoso Rio São Francisco, que realça ainda mais a paisagem. A mais importante cidade do Baixo São Francisco tem uma população estimada de 63.846 habitantes (IBGE/ 2020). O acesso ao município é feito pelas rodovias AL-101 e AL-105. 

No centro histórico, tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o turista pode andar a pé, sossegado, para visitar as atrações turísticas, como a Igreja Conventual Nossa Senhora dos Anjos, a Casa da Aposentadoria, Paço Imperial, Catedral de Nossa Senhora do Rosário, Oratório da Forca, entre outras. Depois, pode ir aos restaurantes e barzinhos da orla fluvial para almoçar e, no fim da tarde, assistir a um belo pôr do sol. Há outros restaurantes e barzinhos espalhados pela cidade para curtir a noite. 

Saindo de Maceió há excursões bate e volta para Penedo e outras com pernoite. Para o turista, um bom programa fora da cidade é o passeio de barco à foz do Rio São Francisco, saindo do cais da vizinha cidade de Piaçabuçu, imperdível. No trajeto até a Foz, que dura cerca de 45 minutos, se observam pequenas ilhas, prainhas, coqueirais, um belo cenário. Ao chegar ao local, parada para banho de rio e de mar, onde se pode degustar tira-gostos, beber uma cervejinha e comprar artesanato. Na volta, almoço nos restaurantes à margem do rio, em Piaçabuçu. 

Para consolidar Penedo como polo turístico e, com isso, gerar mais emprego e renda, faz-se necessário a construção de mais hotéis e pousadas na cidade, a cargo da iniciativa privada. Não é coisa do outro mundo, basta a municipalidade cair em campo para convencer empresários de Alagoas e de outros Estados a investir na hotelaria na cidade. Caso isso aconteça, a cidade ribeirinha do Velho Chico, em curto espaço de tempo, atrairá muitos turistas e se transformará num importante polo turístico de Alagoas. 

Equipe responsável pelo cardápio dos voos da TAP na rota Maceió-Lisboa/ Foto/ Divulgação
  • Nos voos semanais da TAP, na rota Maceió-Lisboa, estão sendo servidos pratos elaborados por dois professores e cinco alunos do curso de Nível Médio Técnico de Cozinha, na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA), do Campus Marechal Deodoro. Anderson Campos e Fátima Amorim, docentes do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), foram convidados para atuar como consultores da empresa aérea portuguesa e selecionaram os alunos para fazer a montagem de quatro ciclos de refeições a serem utilizadas nos próximos três meses. Carne grelhada ao molho teriyaki, jerimum assado e polenta constam do cardápio. “Nós recebemos o convite em janeiro deste ano para prestarmos assessoria a uma empresa que fornece alimentos no ramo da aviação civil.  Ela foi contratada pela TAP, que nos contatou para elaborarmos o cardápio, tanto da classe executiva e da tripulação como da classe econômica”, ressaltou Anderson. 
    Pratagy Acqua ParkCaption: diversão para adultos e crianças a 15km de Maceió
  • Inaugurado no final de julho deste ano, o Pratagy Acqua Park é um dos mais bonitos parques aquáticos do Brasil e está localizado a 15 km de Maceió, em uma área de 15 mil m² anexa ao Pratagy Beach All Inclusive Resort, logo após a praia da Sereia, no litoral Norte. O projeto e ambientação do parque, inspirado nas belezas do fundo do mar, tem assinatura do arquiteto alagoano Lucio Moura. O equipamento dispõe de piscinas (adulto e infantil), dez tobogãs, quatro toboáguas, aquaspray, barco temático, bar molhado, rio lento com 300 metros de extensão e estrutura completa de lazer e alimentação, lojinhas de presentes e estacionamento para ônibus e automóveis. Segundo o diretor-geral do Pratagy Beach All Inclusive Resort, Bernardo Malta, o parque aquático consumiu 35 milhões de reais; levou dois anos para ser concluído e pode receber 600 pessoas por dia. 
    Jeanine Pires foi uma das palestrantes do evento PlanejaPE, em Recife
  • Jeanine Pires, ex-presidente da Embratur e atual diretora da Pires Inteligência em Destinos e Eventos, foi uma das palestrantes do  PlanejaPE, que ocorreu na quarta-feira (21), no Centro Cultural Cais do Sertão, na cidade do Recife. Jeanine abordou o tema “Reciclagem do Marketing em Turismo” e também mediou uma mesa-redonda com executivos de companhias aéreas e da Aena, que administra o Aeroporto do Recife. Promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo e Lazer de Pernambuco e da Empetur, em parceria com o Sebrae, Porto de Galinhas Convention Bureau e o Recife Convention Bureau, o PlanejaPE discutiu as diretrizes que vão orientar o turismo nos próximos dois anos. Ainda na manhã da quarta-feira, a especialista em consultoria turística e relações e negócios Vaniza Schuler abordou o tema “Mercado Mice nos Eventos Futuros Pós-Pandemia. À tarde, o PlanejaPE abriu espaço para discussões entre o trade, representantes das entidades e a equipe técnica da Empetur, divididas em grupos de trabalho por eixos estratégicos do turismo. 

Voltando ao passado 

No dia 14 de junho de 2007, o então presidente da Federação Nacional de Turismo (Fenactur), Michel Tuma Ness (conhecido no meio turístico como Michelão) foi agraciado com o título de Cidadão Honorário de Maceió, numa iniciativa do vereador Marcelo Malta. Na foto, no plenário do Câmara, Michelão aparece entre o vereador Marcelo Malta, secretária de Turismo de Maceió, Cláudia Pessoa, e o presidente da Câmara Municipal de Maceió, Arnaldo Fontan. Em tempo: Michel Tuma Ness continua à frente da Fenactur. Em novembro de 2018, ele foi reeleito para comandar a entidade no biênio 2019-2021. 

Contato: ivaldopintodebarros@hotmail.com