Especial

Secretaria de Estado da Saúde lança projeto de prevenção a agressões sexuais contra crianças e adolescentes

Ação, batizada de 'Sementes do Amanhã', foi apresentada na capital, na sexta-feira (6), pela Rede de Atenção às Vítimas de Violência Sexual

09 de Novembro de 2020, 16:37

Da Redação

Reportagem da agência de notícias do governo do Estado informa que dados da Rede de Atenção às Vítimas de Violência Sexual apontam que “dos 886 atendimentos realizados em Alagoas no ano passado, 79% foram a crianças e adolescentes”. De acordo com a noticiário, esses números, que representam “a maioria esmagadora” de pessoas vítimas de agressão sexual, motivaram a criação do projeto “Sementes do Amanhã”, lançado na sexta-feira (6) pela Secretaria de Estado da Saúde (a Sesau). Segundo a Agência Alagoas, a ação “visa capacitar profissionais que trabalham em instituições que atendem menores de idade, levando-os a atuarem na prevenção da violência sexual”.

O objetivo é uma mudança de comportamento e mesmo da cultura do estupro, “sensibilizando e mobilizando a sociedade para o combate sistêmico à violência sexual contra crianças e adolescentes”. O site do governo diz que a Rede de Atenção se concentrará “na prevenção primária”. Para os especialistas, essa estratégia é a mais econômica, eficaz e abrangente.

A coordenadora da rede, Camille Wanderley, diz que o projeto “Sementes do Amanhã” estimulará “o desenvolvimento de ambientes inclusivos”. “O propósito da iniciativa é preparar os profissionais das instituições que lidam com crianças e adolescentes a trabalharem a temática da violência sexual, uma vez que o assunto é sério, mas, extremamente delicado. Estudos apontam que os menores de 18 anos são abusados, em sua maioria, nos ambientes residenciais e, o mais grave, por pessoas do núcleo familiar, que exercem influência psicológica e financeira sobre as vítimas.”

O projeto será realizado em duas etapas, começando com um curso de capacitação voltado para os técnicos das instituições contempladas. “Os profissionais que atingirem 100% de frequência, receberão certificado emitido pela Sesau”, avisa a reportagem.

Na segunda etapa da ação, ocorrerão encontros presenciais nas instituições participantes, realizando-se “dinâmicas e atividades adaptadas a cada faixa etária”.

Denúncias podem ser feitas de forma presencial no Hospital da Mulher em Maceió, 24 horas por dia, ou pelo número (82) 98882 9765.