Especial

Profissionais do envelhecimento participam de 'roda de conversa' no YouTube

O debate ocorrerá nesta segunda-feira (4), Dia da Política Nacional do Idoso, a partir das 17h, no canal YouTube da especialista em gerontologia Sandra Rabello

04 de Janeiro de 2021, 16:25

Maria Tereza Pereira/ Colaboradora

No Dia da Política Nacional do Idoso, neste 4 de janeiro, segunda-feira, a assistente social e especialista em gerontologia Sandra Rabello realiza, em transmissão ao vivo pelo seu canal no YouTube, uma roda de conversa sobre “velhas e novas questões” sobre a política nacional do Idoso, que nesta segunda-feira completa 27 anos. Participam da live na rede social, a partir das 17h, o sociólogo e especialista em gerontologia Crismédio Costa e a coordenadora de Políticas para Pessoa Idosa da Prefeitura de São Paulo, Sandra Gomes. Conversamos com Crismédio Costa sobre como anda essa política no Brasil e no nosso Estado. Acompanhe a entrevista. 

Considerando o indivíduo idoso, aquele maior de 60 anos de idade, como a Política Nacional do Idoso, a PNI, analisa algumas prestações e benefícios continuados, apenas assegurados com idade igual ou superior a 65 anos. Como superar esse entrave?

Crismédio Costa – A Política Nacional do Idoso existe há 27 anos. Muita coisa avançou durante esse tempo. Hoje já contamos com grandes marcos e legislações que protegem a dignidade da pessoa idosa, como o Estatuto da Pessoa Idosa, a Lei de Criação do Fundo Nacional do Idoso, as Conferências de Direitos da Pessoa Idosa, e outras iniciativas muito positivas para a causa do envelhecimento humano. Superar os desafios é possível quando atuamos em rede, sem perder o foco e o espaço. 

Sandra Rabello é ativista dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa

Como você associaria a PNI às garantias que deveriam constar para todos os idosos na disposição do art. 230 da Constituição de 1988, tais como dignidade, respeito, alimentação, saúde, educação, cultura, atividade física, lazer, profissionalização, trabalho, previdência social, assistência social, habitação e transporte? 

Costa – Esses são direitos humanos fundamentais assegurados pelo Estatuto da Pessoa Idosa, Lei 10.741/2003, é um dos maiores ganhos para a população brasileira. Tornar o estatuto Conhecido já seria uma conquista imensa. Tenho em vista que grande parte das violações acontecem por falta de conhecimento das políticas de proteção às pessoas idosas. O conhecimento só é possível com grandes campanhas permanentes realizadas pelo poder público e pela sociedade civil também. Inibir o desrespeito às pessoas idosas é um dos maiores desafios.  

Em Alagoas, quais as principais conquistas para os idosos em suas diversas áreas e segmentos sociais nos últimos anos? 

Costa – Alagoas já andou muito na valorização e visibilidade na causa das pessoas idosas. Contamos com espaços relevantes de promoção e proteção às pessoas idosas. Temos o Conselho Estadual da Pessoa Idosa, vários conselhos municipais. Maceió já conta com a Politica e Fundo Municipal da Pessoa Idosa. O Ministério Público Estadual lançou o Projeto Idoso Cidadão e há muitas outras mobilizações e ações da sociedade civil que fortalecem as questões relacionadas ao envelhecimento no Estado. 

Dentro da PNI, como tem sido amparada as questões do indivíduo idoso senil, especialmente os de precário poder aquisitivo, que de um modo geral tem o declínio de sua capacidade físico-mental? 

Costa – As legislações deixam bem claro a proteções e o compromisso da sociedade em assegurar a dignidade da pessoa idosa. Penso que esse compromisso deve ser levado a sério de forma permanente. À medida em que a punição for acontecendo contra os violadores dos direitos das pessoas idosas, iremos vendo a mudança acontecer e a redução dos crimes serem satisfatórias. 

Sandra Gomes, da prefeitura de São Paulo, também participa da live

Como a PNI vê a política pública levando como prioridade a vacinação de idosos? 

Costa – A vida e a saúde são direitos humanos assegurados, e isso já é suficiente para que a sociedade busque a efetivação e o cumprimento das leis de proteç,ão aos que envelhecem. Como diz o grande escritor Leonardo Boff, “tudo o que existe e vive precisa de cuidado para continuar”. As pessoas idosas mais do que nunca precisam de uma Política Nacional de Cuidados para alcançar e cuidar dos diversos aspectos do envelhecimento. 

A Reforma da Previdência aumentou os prejuízos sociais com relação aos idosos, resultando em considerável aumento da vulnerabilidade a qual os idosos, em sua maioria, é submetida. Como a PNI poderia intervir para melhorar essa realidade? 

Costa – A PNI, assim como o Estatuto do Idoso, estão passando por aprimoramentos e isso é sumamente importante para acompanhar a evolução cientifica, econômica e demográfica. Não podemos discutir as leis , sem avaliar o contexto atual, os avanços e novos desafios. 

Quais importantes medidas para amenizar o impacto do isolamento social entre idosos em situação de risco e dentro do grupo de senilidade em situação vulnerável? 

Costa – Cuidar e cultivar o respeito e a ternura pelo ser humano. O distanciamento é essencial, mas não podemos privar as pessoas idosas do nosso respeito e sobretudo do nosso carinho por todas e cada uma dessas pessoas. Para compreender essas atitudes basta ser humano e ousado na defesa e no cuidado.