Cultura

Festa das Águas, que foi cancelada em 2020, ocorrerá virtualmente em março

Festival afro percussivo chega à 11ª. edição em novo formato em decorrência da pandemia do novo coronavírus; participarão 15 grupos, a maior parte ligados às casas de axé

08 de Fevereiro de 2021, 11:39

Da Redação

Idealizado pelo percussionista Wilson Santos e o antropólogo e produtor cultural Christiano Barros, o festival afro percussivo Festa das Águas estreou em 8 de dezembro de 2007 – embora sem adotar esse nome ainda, o que ocorreu somente em 2009, quando foi ampliado com a adesão de novos grupos, tornando-se uma festividade “repleta de simbologia, identidade, cultura e história”. Este ano, será realizado virtualmente no dia 21 de março, que é Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.

De acordo com o informativo enviado à Redação, em 2010, o festival firmou-se como uma grande festa musical, cheia de referências à cultura afro-brasileira. "Como uma raiz que se finca, fortalece e dá frutos, a Festa das Águas hoje é o principal festival afro percussivo de Alagoas.” 

Foram 11 edições da Festa das Águas, que estreou em 8 de dezembro de 2009

Wilson Santos, que é produtor artístico, percussionista, professor e coordenador da Orquestra de Tambores de Alagoas, conta um pouco dessa história. “A primeira manifestação aconteceu quando decidimos levar alguns grupos percussivos à praia no Dia de Iemanjá para fazer uma batucada acampada em homenagem a ela e a Nossa Senhora da Conceição.” 

Com participação de três grupos, aconteceu uma animada roda de batuque. “Isso se repetiu anos depois com o número de grupos sempre crescendo”, afirma Santos. “Chegou a hora de dar nome ao movimento e daí surge uma reflexão sobre a ação. Eu levantei e disse: ‘A cidade é cercada de água. Podemos colocar o nome de Festa das Águas'. E assim ficou. Ao longo dos anos, sempre tentamos fazer a intervenção de forma colaborativa e coletiva, tentando envolver os coordeponadores dos grupos na pré-produção e tudo na intenção de criar uma atmosfera de empoderamento popular em torno da festa.” 

O percussionista Wilson Santos: 'Maceió é cercada de águas'

Ano passado, por conta da pandemia do coronavírus, o fetival não pôde acontecer no dia 8 de dezembro. Aprovado pela Lei Aldir Blanc de Apoio à Cultura, o projeto acontecerá finalmente em março. Participarão do evento 15 grupos afro percussivos, a maior parte ligada a casas de axé.  

“Os grupos se dividiram em cinco dias de gravações, cumprindo o protocolo sanitário, no palco centenário do Teatro Deodoro, com o apoio da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal)”, informa o press-release da Festa das Águas. Para o produtor executivo do evento, Christiano Barros, trata-se de “um grande desafio”. "São mais de dez anos fazendo de forma presencial e agora estamos com essa missão de realizar a festa em outro formato, sem público presencial. A ideia é que a Festa das Águas aconteça no dia 21 de março, mas pretendemos começar a publicar antes, a partir de 10 de março, um vídeo por dia até o dia 21, com uma ação marcando a data.” 

Os vídeos serão publicados nas redes sociais da Festa das Águas. Acompanhe as ações do evento no Instagram e no Facebook do festival