Especial

Covid-19: Sertão e Agreste voltam à fase vermelha

Decreto divulgado nesse domingo (7) pelo governador Renan Filho determina normas, também, para a fase laranja em Maceió e região metropolitana

08 de Março de 2021, 15:23

Da Redação

Nesse domingo (7), por meio de decreto estadual, o governador Renan Filho (MDB) determinou que Alagoas deve retomar algumas medidas restritivas em função da nova explosão de casos e mortes provocados pela pandemia de covid-19 – com presença, inclusive, de variantes da doença recentemente descobertas. A partir desta segunda-feira (8), os municípios do Agreste e do Sertão passam a operar na fase vermelha, a mais severa, enquanto a capital e demais regiões funcionam na fase laranja. Porém, há uma série de flexibilizações nas novas medidas.

Com a instituição da fase vermelha, fica permitido o funcionamento de serviços essenciais, tais como supermercados, farmácias e locais que prestam serviços de saúde, higiene, limpeza e alimentação. No entanto, bares e restaurantes podem ofertar apenas o serviço de entrega a domicílio. Apesar disso, há duas determinações que flexibilizam o que foi estabelecido pela fase vermelha anterior: o comércio não essencial pode funcionar de segunda a sexta-feira e igrejas e templos ficam livres para atuar com 30% de sua capacidade total.

Na fase laranja, Maceió, Zona da Mata, Litoral e região metropolitana puderam assistir a um número ainda maior de restrições anunciadas de maneira menos rígida. Por conta disso, podem funcionar: comércio de qualquer tipo, de segunda a sexta-feira das 9h às 17h e no sábado das 8h às 13h; academias, clubes e centros de ginástica (30% da capacidade); bares e restaurantes (50% da capacidade), de segunda a sexta-feira, entre 6h e 20h; shoppings, todos os dias das 11h às 21h, e escolas, faculdades e universidades.

À reportagem da Agência Alagoas, o governador declarou que o avanço da pandemia em Alagoas "vem tendo crescimento de forma acelerada". "Saímos de 72 óbitos na antepenúltima semana e, agora, tivemos crescimento de 50% de mortes.”

Sobre Maceió, Renan Filho disse que a capital “já tinha uma estabilidade há ao menos 11 semanas, mas fechou ontem com um crescimento de 25%”. Sobre a decisão em relação às flexibilizações das medidas restritivas, o emedebista não se pronunciou.