Especial

'Não podemos deixar nenhum alagoano com mais de 60 anos para trás', afirma Renan Filho

O alerta sobre imunização foi direcionado, principalmente, aos prefeitos dos municípios alagoanos com quem o governador se reuniu esta semana

10 de Abril de 2021, 10:42

Severino Carvalho/ Agência Alagoas

“Não podemos deixar nenhum alagoano com mais de 60 anos para trás”. O alerta foi feito pelo governador Renan Filho nessa sexta-feira (9), em entrevista coletiva no Palácio República dos Palmares, no centro da capital. A preocupação do chefe do executivo alagoano é com aqueles que ainda não se vacinaram contra a covid-19, mesmo tendo idade compatível com a faixa etária estabelecida pelo Plano Estadual de Imunização.

“Recebemos ontem (8) mais vacinas e agora vamos iniciar a vacinação para todos os municípios das pessoas com 62, 61 e 60 anos. Algumas cidades já estavam vacinando essas faixas etárias, porque, talvez, nas faixas etárias anteriores nem todas as pessoas foram vacinadas. Por isso eu faço um alerta, aproveitando aqui a presença da imprensa: é que não podemos deixar nenhum alagoano com mais de 60 anos para trás”, afirmou Renan Filho.

O alerta foi direcionado, principalmente, aos prefeitos dos municípios alagoanos com quem o governador se reuniu esta semana, por meio de videoconferência.

“Quem fica para trás [na vacinação] corre mais risco de adoecer, mais risco de desenvolver a forma grave da doença e o pior: corre muito mais risco de falecer. Por isso é fundamental que as pessoas se vacinem e eu tenho dito aos prefeitos – fiz uma reunião essa semana e vou reiterar na semana que vem – que a gente não pode deixar nenhum alagoano para trás na campanha de vacinação.”

Questionado pela imprensa sobre a compra pelo governo do estado da vacina Sputnik-V, através do Consórcio Nordeste, Renan Filho informou que até segunda-feira (12) definirá uma posição quanto ao assunto.

“Estamos esperando a liberação da Sputnik. A Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] está demorando e, inclusive, alguns estados já entraram na Justiça [pedindo a liberação do uso emergencial]. Eu estou avaliando qual será o caminho de Alagoas. Até a segunda-feira tomarei uma decisão definitiva quanto a isso”, disse Renan Filho, que defende o uso emergencial do imunizante russo.