Turismo em Pauta

Água Branca, uma agradável cidade com clima de montanha em pleno Sertão

Município registra temperatura entre 15º e 22º; história e o frio no Inverno são atrativos turísticos ainda mal aproveitados

13 de Maio de 2021, 09:52

Ivaldo Pinto é jornalista

No Alto Sertão, há uma cidade que ainda não é bem aproveitada turisticamente, em que pese ter potencial. Trata-se da histórica Água Branca, cuja população estimada é de 20.230 habitantes (IBGE/ 2020).  Esse agradável município possui, no centro histórico, um bonito conjunto arquitetônico, no estilo colonial e barroco, que corre o risco de sofrer processo de descaracterização, uma vez que ainda não é tombado pelo governo estadual. E olhe que Água Branca é uma das 28 cidades alagoanas presentes no novo mapa do Turismo Brasileiro, do Ministério do Turismo. 

Conta a história que, até o século 17, Água Branca fazia parte das sesmarias de Paulo Afonso (BA), que compreendiam, também, os atuais municípios de Mata Grande, Delmiro Gouveia e Piranhas. No princípio foi denominada Mata Pequena, Matinha de Água Branca e, por fim, Água Branca. O nome deriva de uma serra da região com fontes de águas limpas, e a fundação se deve a três irmãos da família Vieira Sandes, cujo líder era o capitão Faustino Vieira Sandes. 

Distante 302 km de Maceió, Água Branca tem clima de montanha.  Está localizada a uma altitude de 570 metros acima do nível do mar. No inverno, a temperatura média é de 15º a 22°, um atrativo para quem gosta de curtir um friozinho e degustar comidas deliciosas com um bom vinho. Nessa época ano, acontece um festival de inverno, com atrações nacionais e locais, e atrai turistas de Alagoas e de algumas cidades de Sergipe, Bahia e Pernambuco. Ano passado, devido à pandemia do novo coronavírus, o evento não foi realizado. Este ano, ao que tudo indica, não deverá acontecer. 

Com ruas estreitas e enladeiradas, essa pacata cidade sertaneja tem como atrações a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, uma das mais bonitas de Alagoas; a casa do Barão de Água Branca, infelizmente fechada há alguns anos e carecendo de manutenção, e o Mirante do Calvário, a 780 metros de altitude (o segundo ponto mais alto de Alagoas), de onde se vislumbra um belo panorama do Sertão e algumas cidades vizinhas. Uma boa pedida, no centro histórico, são os restaurantes e barzinhos, movimentados nos fins de semanas, que servem bebidas e carnes diversas, incluindo o tradicional bode assado. 

Cidade pequena, mas de povo acolhedor, Água Branca fica a apenas 16 km de Delmiro Gouveia, importante cidade turística e polo regional, local ideal para hospedagem, uma vez que dispõe de confortáveis hotéis e pousadas. O acesso a Água Branca é feito pelas BRs 316 e 423. 

Notas 

  • No Brasil, como em outros países do mundo, o turismo foi um dos setores mais prejudicados com a pandemia do novo coronavírus. Em Maceió e nas demais cidades turísticas do Estado houve uma queda abrupta na taxa de ocupação dos hotéis. Os restaurantes e bares também foram afetados, bem como setor de eventos. Os prejuízos são incalculáveis. Mas, em julho, o setor turístico, em Alagoas, vai dar uma respirada, com os voos fretados da companhia Azul para Maceió, além de um voo regular direto, inédito, ligando São Paulo à capital alagoana, também da Azul, partindo de Congonhas. Os oito fretamentos partirão de Campinas (SP), Presidente Prudente (SP), Ribeirão Preto (SP), São José do Rio Preto (SP), Belo Horizonte (MG), Cuiabá (MT), Porto Alegre (RS) e Uberlândia (MG), grandes emissores de turistas para Alagoas.
    Um alento para a hotelaria em julho: oito voos fretados e um regular da companhia Azul

     

  • A Secretaria de Estado do Desenvolvimento e Turismo de Alagoas (Sedetur) tem novo titular. Trata-se de Marcius Beltrão, advogado e administrador, que ocupa o lugar de Rafael Brito. Na vida pública desde os 22 anos, Beltrão foi prefeito de Penedo, importante cidade de Alagoas, por três mandatos. Na sua gestão, conseguiu recursos do PAC das cidades históricas para Penedo, investimento na ordem de R$ 22 milhões, e a reabertura do Cine São Francisco, que funcionará como Centro de Convenções, a viabilização do polo da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) no município, além da pavimentação de ruas, inauguração de centros de saúde e construção de praças, obras realizadas em parceria com os governos estadual e federal.  
    Paris volta a receber turistas não europeus a partir de 9 de junho 

     

  • A partir de 9 de junho, a França reabre as fronteiras e volta a receber viajantes não europeus, que serão obrigados a apresentar um passaporte de saúde que inclua a prova de que foram vacinados contra covid-19 ou um teste PCR negativo. O plano de quatro etapas anunciado pelo pelo presidente Emmanuel Macron, que já projeta acabar com o bloqueio parcial do país, prevê a reabertura de museus, teatros, salas de espetáculos, lojas, espaços culturais, cafés e restaurantes sob certas condições a partir de 19 de maio. Em junho, a partir do dia 9, cafés e restaurantes poderão retomar o funcionamento regular até as 23 horas e eventos para até 5 mil pessoas também serão permitidos. A fase final do plano inclui o fim do toque de recolher noturno, bem como a maioria das outras restrições em 30 de junho. 
Ex-dirigentes do turismo de Alagoas, quando da solenidade, na Setur

De volta ao passado 

No final de dezembro de 2008, quando a Secretaria Estadual de Turismo (Setur) funcionava em um prédio na Rua Boa Vista, de esquina com a Praça dos Martírios, no centro, houve a inauguração da galeria dos presidentes e diretores da Empresa Alagoana de Turismo (Ematur) e também dos secretários estaduais de Turismo, uma homenagem àqueles que deram a sua contribuição para o desenvolvimento do turismo alagoano. O ato solene reuniu ex-dirigentes da Ematur e da Setur, como mostra a foto.  

Contato: ivaldopintodebarros@hotmail.com