Especial

Governador anuncia continuação de medidas preventivas contra a covid-19

De acordo com Renan Filho, a ocupação de leitos em Alagoas está 'em torno de 65%'; 'se não reduzirmos a velocidade de contágio, teremos mais um crescimento de mortes esta semana', diz o mandatário

26 de Maio de 2021, 09:41

Da Redação

O crescimento das taxas de contágio e de ocupação hospitalar levou o governo do Estado a dar continuidade às medidas de combate à covid-19 por mais sete dias. A decisão foi anunciada pelo governador Renan Filho, na noite dessa terça-feira (25), em coletiva de imprensa realizada no Palácio República dos Palmares, no centro da capital. Renan Filho considera a possibilidade de reavaliar as medidas a partir de estudos que serão feitos ao longo desta semana.

À reportagem da Agência Alagoas, o governador informou sobre a porcentagem de ocupação de leitos de UTI, “em torno de 65%”. “Voltamos a ter ocupação próxima de 90%”, destacou o mandatário, avisando que “isso significa que o estado, mantendo o ritmo de contágio, infelizmente, vai ter de voltar a tomar medidas no sentido de defender a vida, fortalecendo o distanciamento social e asc medidas de isolamento”.

Participaram da coletiva o secretário da saúde Alexandre Ayres e outras autoridades

Segundo o governador, “no momento, 342 pessoas ocupam leitos públicos de UTI em Alagoas, com um total de 854 pessoas internadas na rede hospitalar do estado para o tratamento da covid-19". “Na última semana, tivemos um aumento do número de mortes, e há uma inferência, pela projeção e pelo crescimento da ocupação hospitalar, que, se nós não reduzirmos a velocidade de contágio e, por consequência, a internação de pessoas, teremos mais um crescimento de mortes esta semana.”

A agência de notícias do governo explicou que "o comportamento da pandemia será decisivo para eventual antecipação de novas medidas”. Renan Filho informou que o governo já iniciou uma “observação profunda” dos números de contágio e mortes por covid-19 em Alagoas. “Poderíamos já ter tomado decisões hoje, mas, depois de ouvir a todos da Saúde, o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, o presidente da Associação dos Municípios Alagoanos, Hugo Wanderley, o chefe do Gabinete Civil, Fabio Farias, e eu próprio, decidimos prorrogar o decreto. A tendência é que tomemos novas decisões nos próximos dias para garantir a preservação de vidas.”