Cultura

'Groove do Bom' é divisor de águas da música black à alagoana

A banda Favela Soul lança seu primeiro álbum, com apoio da Lei Aldir Blanc; referências da música negra brasileira e internacional e muita força criativa tornam o disco um clássico instantâneo do hip hop

27 de Maio de 2021, 09:47

Sebage Jorge/ Editor

Lançado na semana passada, o primeiro álbum da Favela Soul, “Groove do Bom”, apresenta-se como um clássico instantâneo, sintetizando os dez anos da banda com um som forte e contagiante, cheio das influências da black music nacional e norte-americana, e confirmando a força do hip hop alagoano. É um petardo, uma bomba jogada no meio da sala (ou da pista ou do boteco da periferia), um foguete disparado rumo às estrelas, aos sonhos mais legítimos de uma geração que canta pra valer e toca pra valer, e compõe com uma urgência a que estamos pouco acostumados diante da pasmaceira geral da música brasileira.

Favela Soul está na estrada há dez anos/ Foto/ Jader Ulisses

Eles tinham lançado uma espécie de arauto rap-soul-funk alagoano no EP “Solta esse Black” em 2017. O álbum que saiu na sexta-feira (21) vem com a mesma força juvenil e de militância apaixonada. Uma lindeza. “Dançante, contestador e instigante para trilhar o caminho traçado pela Favela Soul”, destaca o informativo da trupe enviado à Redação.

A banda traz para o estúdio a espontaneidade e o furor de suas performances em teatros e espaços de cultura na capital. Estão com a corda toda, colocando-se com firmeza e com um profissionalismo real e necessário. Estão acima da média. Ou melhor, comprovam que há um movimento sólido, consistente e criativo de música black à alagoana.

Ilustração da capa é de Victor Hugo

“Favela Soul passa a visão da cultura da rua para a própria rua, abordando temas do cotidiano sempre com uma mensagem positiva para quem vive essa realidade”, continua o press-release da banda. “O objetivo não é só mudar o cenário, mas mostrar que a mudança está dentro de cada um, não importa a condição social.”

Perfeitos. “Os beats eletrônicos assumindo a cozinha da banda, junto com o baixo sem a presença de uma bateria acústica, com certeza é o traço marcante desse disco”, explica o vocalista e letrista Mc Tribo. 

A produção de “Groove do Bom” contou com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura via Lei Aldir Blanc. Corre lá para a sua plataforma de streaming predileta e deixa o som rolar.

Acompanhe a Favela Soul nas redes sociais da banda.