Turismo em Pauta

Pão de Açúcar tem tudo para se transformar em novo polo turístico do Sertão

Distante 232 km de Maceió, a cidade às margens do Rio São Francisco tem um Cristo Redentor e um povoado, a Ilha do Ferro, cheio de referências criativas

12 de Julho de 2021, 15:53

Ivaldo Pinto é jornalista

Manhã de sábado, logo cedo, o ônibus da Sol & Mar Turismo deixou Maceió rumo a Pão de Açúcar, cidade às margens do Rio São Francisco, no sertão alagoano, distante 232 km de Maceió. A excursão, organizada pela  MBTour, como parte do projeto “Alagoas para Alagoanos”, teve todos os participantes vacinados, exigência de Betânia Barros e Deucila Amorim, que comandam a agência de viagens. 

Às 10h40, chegada a Pão de Açúcar, cujo nome, antigamente, era Jaciobá, que, em guarani, quer dizer “espelho da lua”. Tempo nublado, temperatura amena, coisa rara para essa cidade, uma das mais quentes do Brasil. O ônibus da Sol & Mar estacionou a poucos metros da centenária Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus. Os visitantes foram recebidos pelo secretário municipal de Turismo, Marcos Monteiro, também conhecido como Marquinhos do Téi. 

Passeio de barco pelo Rio São Francisco até a Ilha do Ferro: imperdível
Visitantes fazem city tour, a pé, pelas  principais ruas da cidade

Durante o city tour, a pé, pelas ruas tranquilas e limpas da cidade, o secretário de Turismo fez uma explanação sobre as atrações turísticas do município. “Possuímos a maior margem para banho no Velho Chico, que, no Verão, é invadida por turistas de Alagoas e de estados vizinhos”, enfatizou o secretário. Destacou o projeto de urbanização da orla fluvial, que terá 10 mil m², cuja obra, quando concluída, contribuirá para alavancar o turismo na cidade, o monumento do Cristo Redentor e a famosa Ilha do Ferro, visita obrigatória de quem vai a Pão de Açúcar. 

O povoado da Ilha do Ferro é famoso pelo artesanato em madeira e bordados
Bordado 'boa noite': um esmerado trabalho artesanal

O secretário admitiu que Pão de Açúcar ainda está “engatinhando” no turismo, mas que tem tudo para se desenvolver. Comentou que a cidade conta, apenas, com três pousadas, além de bares e restaurantes, para atender os visitantes. Falou ainda da duplicação da rodovia Arapiraca–Delmiro Gouveia, obra prometida pelo governo de Alagoas, que contempla Pão de Açúcar e municípios vizinhos. “Somos o terceiro município em extensão territorial de Alagoas, com quase 700 km²”, informou o secretário. “A nossa população estimada é de 24.351 habitantes (IBGE/2020), sendo que 60% é rural e 40% urbana.” 

Monumento do Cristo Redentor, importante atração turística

Depois do passeio pela cidade, os visitantes se dirigiram ao Belvedere, espaço gastronômico localizado na orla fluvial, para almoço, no tradicional Bar e Restaurante Tonho do Redondo. Após o ágape, o grupo, acompanhado do guia de Turismo Aderval Santos (Chiquinho), seguiu em duas embarcações, rio acima, até a Ilha do Ferro, que na verdade não é uma ilha, mas um povoado ribeirinho, conhecido nacionalmente pelo artesanato em madeira e pelos bordados, cujo destaque é o delicado boa noite, marca registrada do lugar. 

Ao retornar à região central de Pão de Açúcar, no final da tarde, os visitantes foram conhecer o Cristo Redentor, obra do escultor pão-de-açucarense João Lisboa, e assistir ao pôr do sol, um belíssimo espetáculo da natureza. O monumento, inaugurado em 1950, tem 12,8 metros de altura e pesa 40 toneladas. Do mirante vislumbra-se um bonito panorama da cidade e do majestoso Rio São Francisco, além do povoado Niterói, do lado sergipano do rio. No início da noite, o grupo se dirigiu a Santana do Ipanema, onde pernoitou no confortável Hotel Privillege. 

Do Cristo Redentor tem-se uma panorâmica da cidade e contempla-se um belo pôr do sol
Belvedere, espaço gastronômico frequentado por nativos e turistas

Contato: ivaldopintodebarros@hotmail.com