Cultura

Quintal Cultural comemora 14 anos ampliando atividades culturais e educativas na capital

Espaço criado pelo músico e agitador cultural Rogério Dyaz comemorou a data no sábado (18), em parceria com a Central Única das Favelas

21 de Setembro de 2021, 09:21

Da Redação

O decano Quintal Cultural, no bairro de Bom Parto na região central de Maceió, chega ao seu décimo-quarto ano de existência, realizando um importante trabalho de formação cultural e de valorização da arte popular e periférica. No sábado (18), em parceria com a Central Única das Favelas (a Cufa Alagoas), o espaço fundado pelo músico, poeta e agitador cultural Rogério Dyaz realizou atividades educativas e culturais, reunindo lideranças de mais de 40 comunidades da capital e do interior.

“O quintal cultural, desde sua origem em 2007, promove a interação da comunidade com agentes culturais”, destacou o informativo enviado à Redação. “A princípio era em formato de apresentações semanais, todos os sábados, geralmente às 20h e aberto para ensaios e reuniões a grupos que procurassem o espaço. Depois a demanda foi aumentando e começamos a proporcionar aulas de arte e cultura para a comunidade, focando no público infanto juvenil. E a promover eventos a quem buscasse um local de apresentação.”

Criado há 14 anos, o Quintal Cultural ampliou suas atividades para ensinar arte às crianças

A atual presidente do Quintal Cultural, Andréia Carvalho, afirmou que a parceria com a Cufa “trouxe avanços fantásticos para esse trabalho que é a conexão das periferias de Alagoas”. “Pretendemos que todas elas se comuniquem de forma unilateral, e que isso propicie uma linguagem mais clara da importância da cultura para o fortalecimento da identidade alagoana.”

Apresentando-se pela primeira vez no Quintal Cultural, o líder da Cufa do município de São Miguel dos Campos (distante 56 km de Maceió), o artista de reggae Samoney, fez uma participação musical de 30 minutos, ao lado de três parceiros. “Para mim, o Quintal Cultural é um pilar da cultura, que pode salvar pessoas. Eu só tenho a agradecer essa oportunidade e sei que preciso participar mais de eventos como esse.”

Rogério Dyaz se apresenta no espaço cultural que comemorou aniversário no sábado

Líder da Cufa na vizinha Marechal Deodoro, a MC Elhy Santhos, do grupo feminino Fúria Jovem, contou que, depois que conheceu as ações culturais e sociais do Quintal Cultural, quis, também, ajudar “a fortalecer” a comunidade em que vive. “Primeiramente por expandir meu trabalho a novos públicos e fazer parte desse movimento lindo que vem sendo realizado por todo esse pessoal. Minha relação com o Quintal Cultural já vem de anos, desde que me apresentei nesse espaço pela primeira vez. É onde acontece toda a conexão com outros estilos, artistas e eventos.”

Rogério Dyaz afirmou que o evento realizado no sábado “foi até maior do que as expectativas”. “Foi um momento de celebração e de reflexão sobre tudo o que construímos até agora. Serviu também como balanço e redimensionamento de algumas coisas. E temos hoje uma noção exata do que trilhamos e do que nós queremos. Nesse evento, tivemos a certeza de que estamos no caminho certo. Foi um marco para o Quintal Cultural. As palavras proferidas no microfone, nas músicas, nos diálogos informais reafirmaram uma união verdadeira entre nós em torno de algo maior. Isso é muito importante, é a favela unidade de verdade, é a favela consciente da sua força num momento em que todos dão as mãos.”