Cultura

Festival Carambola apresenta duetos de alagoanos com artistas de outros estados

Na programação on-line dessa quinta-feira (23), a partir das 20h, Flora e Zé Ibarra e Bruno Berle e Dora Morelenbaum; para assistir, inscreva-se previamente

22 de Setembro de 2021, 11:06

Da Redação

Nessa quinta-feira (23), o Festival Carambola retoma suas atividades on-line a partir das 20h, via plataforma Zoom. É preciso fazer inscrição prévia aqui — as vagas são limitadas. O destaque dessa quinta é o projeto “Sala de Ensaio”, apresentando duas sessões de estúdio de artistas alagoanos “em duetos inéditos e criativos com nomes de fora do estado”. “Os registros foram feitos exclusivamente para o festival, durante um final de semana do último mês de julho”, destaca o informativo enviado à Redação. A cerveja Devassa, patrocinadora do evento, apresenta o talk-show “Rádio Devassa”, capitaneado pelos artistas Zé Manoel e Marina Sena.

A cantora e compositora Flora faz dobradinha com o artista carioca Zé Ibarra, seguido pelo podcast da Devassa. O Rio de Janeiro também está na segunda "Sala de Ensaio" da noite, com a compositora e violonista Dora Morelenbaum em dueto com o nosso Bruno Berle, compositor e violonista.

O carioca Zé Ibarra faz dueto com a alagoana Flora na edição desta quinta-feira do festival

“De 2017 para cá, o Festival Carambola realizou três edições físicas em Maceió (AL) e duas online, uma própria e outra ao lado de mais sete festivais nacionais via um projeto da cerveja Devassa, ambas em 2020”, relaciona o press-release do evento, lembrando que, já no meio do ano, o evento “deu o primeiro pontapé de 2021, revelando sua nova identidade visual”. “Por meio de um anúncio híbrido, que invadiu as redes sociais e também a capital alagoana, com uma projeção visual de cerca de 40 metros de extensão sobre um prédio da avenida Comendador Gustavo Paiva, um dos pontos mais movimentados de Maceió.”

A cantora e compositora Fernanda Guimarães, uma das produtoras do Carambola, aposta em "arte ativa, criativa e mutante”. "O Carambola é essa mistura de linguagens, essa possibilidade do contato plural da nossa cultura com quem se dispõe a conhecê-la. Fazer isso presencialmente é um grande desafio, e agora, virtualmente é um desdobramento ainda maior na criatividade e também na vontade."