'Jazz Panorama ao Vivo' retorna ao cartaz no Teatro Deodoro

Evento idealizado pelo contrabaixista Félix Baigon estava parado há quase dois anos; com apoio da Diteal, retoma suas atividades nessa terça e quarta-feira (12 e 13), às 20h

11 de Outubro de 2021, 10:36

Da Redação

O programa de música instrumental “Jazz Panorama ao Vivo” retoma sua programação nessa terça e quarta-feira (12 e 13), a partir das 20h. As duas apresentações ocorrerão no Teatro Deodoro à rua Barão de Maceió (Praça Deodoro), s/n, no centro da capital. São quase dois anos desde a derradeira performance do evento, no mesmo Deodoro, conduzida pelo baterista gaúcho Kiko Freitas. O “Jazz Panorama ao Vivo” é uma realização do Clube de Jazz de Maceió, com apoio da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (a Diteal).

Nessa terça-feira, o convidado do programa é o saxofonista paulistano Derico Sciotti. Na quarta é a vez do saxofonista, flautista e arranjador fluminense Marcelo Martins. O grupo local The New Stars, formado por cantoras, fará a abertura do show de Martins. 

Félix Baigon diz que ficou tanto tempo parado que precisou botar os instrumentos no sol
O saxofonista de Niterói, Marcelo Martins, é a estrela de quarta-feira

Fundador do Clube do Jazz alagoano, o contrabaixista Felix Baigon diz que a paralisação das atividades do evento por conta da pandemia do novo coronavírus, depois de um ano “muito bacana como o de 2019", “foi complicado”. “O projeto cumpre com a sua função, desde a história de começar realizando os ensaios abertos”, conta o músico, idealizador do programa. “Fizemos duas vezes o projeto ‘Músicas para Escola’ e você ter a sala de música do Complexo Cultural Teatro Deodoro completamente lotada de alunos encantados com essa música, que não toca nas rádios, com exceção da Rádio Educativa FM com o programa ‘Jazz Panorama’ – é o tipo de música que você precisa pesquisar nas redes ou caso tenha discos em casa –, é muito gratificante." 

À comunicação do Teatro Deodoro, Baigon revelou que já estava com a agenda de 2020 “cheia” quando o grupo foi surpreendido pela pandemia da covid-19. “Isso atingiu de forma tão grande a nós que até o estímulo de estudar, tocar seu instrumento, ficou prejudicado. Grandes nomes também revelaram essa perda do estímulo de estudar. Para se ter uma ideia, eu precisei colocar os instrumentos para tomar um banho de sol, visto o tempo que estavam parados sem uso.”