Cultura

Quinta rodada de apresentações do Festal é dedicada à resistência e representatividade do povo negro

'Cenas Pretas/Negras' é o tema do último 'Giro' do Festival de Artes Cênicas de Alagoas; nesta sexta-feira (29), Rodôlfo da Silva Aquino apresenta o espetáculo de dança 'Ao Meu Corpo'

29 de Outubro de 2021, 11:00

Da Redação

A sexta edição do Festival de Artes Cênicas de Alagoas (o Festal) segue nesta sexta-feira (29) com seu quinto e último “Giro”, apresentando o espetáculo de dança “Ao Meu Corpo”, de Rodôlfo da Silva Aquino. Trata-se, segundo o informativo enviado à Redação, de “uma narrativa performática por meio de atravessamentos urbanos e sociais que afetam corpos negros”. O solo de Aquino está marcado para as 20h e você pode acompanhar toda programação no canal do festival no YouTube.

No sábado (30), o “Giro” vem com duas atrações: a peça teatral “Rala Fora Playboy”, da Cia. Preto Tição de Teatro, que começa às 16h, fazendo “um passeio no tempo histórico do povo negro”, e mais um espetáculo de dança, “Corpo Saravá”, da Cia Urucungo, “com um diálogo entre corpo e movimento, musicas e ritmos afro-indígenas e afrocêntrico”.

Mary Alves fará o show de encerramento do Festal no domingo (31)

No domingo (31), “com o intuito de promover um espaço de diálogo e ampliar reflexões na cena artística alagoana”, vai rolar uma roda de conversa a partir das 16h, com os artista e grupos que se apresentaram durante a semana e participações do Filé de Críticas coordenado por Lorenna Rocha, que é crítica cultural, licenciada em História pela Universidade de Pernambuco. 

Um show musical de Mary Alves a partir das 18h encerrará o Festal, que é uma realização da Rede de Artes Cênicas de Alagoas (composta por grupos e artistas independentes), com patrocínio do governo federal através da lei emergencial Aldir Blanc.