Tem espetáculo a céu aberto e homenagem a Acioli Filho no aniversário do Teatro Deodoro

Ainda na programação que nesta terça-feira (16) começa às 17h, a nova montagem da Cia. Nêga Fulô '“O Que quer uma Mulher?”; todas as atrações são gratuitas

16 de Novembro de 2021, 14:22

Da Redação

Em Maceió, o Teatro Deodoro segue com a programação comemorativa de seus 111 anos de fundação. Para a tarde desta terça-feira (16), em parceria com o Tribunal de Justiça de Alagoas, está marcada a estreia de “Beleza, cheguei agora!”, montagem da Cia. Lacasa que será apresentada ao ar livre, na Praça Deodoro, Centro, a partir das 17h. Atuam no espetáculo dirigido por Abides Oliveira os atores Ane Oliva, Gelly Silva, Gi Silva, Tiago Costa, Abides Oliveira e Toni Edson.

De acordo com o informativo do teatro enviado à Redação, a peça da Cia. Lacasa encena “um embate entre a modernidade e a tradição”, homenageando a cultura popular e as mestras e mestres de Alagoas. “Um cortejo em pernas de pau invade o espaço e está iniciada a jornada. Ornados com a força da musicalidade de seus folguedos, mestras e mestres voltam à terra para tirar satisfação com uma tal de ‘Dona Tecnologia’, que ameaça de extinção a cultura popular”, destaca o press-release.

Sílvio Leal realizará performance em homenagem a Acioli Filho

Continuando a programação de aniversário, agora no foyer do teatro, às 19h, o ator Sílvio Leal apresentará “Monólogo Manifesto — No Peito da Maldade, Coração não bate”. O texto parte de um poema de Ricardo Guima em homenagem ao professor e coreógrafo Acioli Filho (1962-2021), brutalmente assassinado pelo namorado em setembro deste ano. “É uma performance, algo curto, mas muito significativo. Um manifesto escrito pelo Ricardo Guima que quis homenagear o Acioli Filho”, explica o artista. “Pedi ao Guima algo que denunciasse esse panorama de violência e morte que há décadas vem assustando a população LGBTQIAP+, não somente em Alagoas, como no país inteiro. Achei linda a homenagem do Ricardo ao Loli. ‘No Peito da Maldade, Coração não bate’ é, também, uma espécie de oração, um pedido de esperança, paz e respeito às diferenças. Estamos precisando e muito de paz e amor.”

Fechando o dia, já no palco do Deodoro, às 20h, a Cia. Nêga Fulô vem com a peça “O Que quer uma Mulher?”. O texto traz uma personagem “que luta para desvendar o mundo que a cerca”. “Focando em etapas que são fundamentais na vida de qualquer pessoa”, destaca a comunicação do Teatro Deodoro, “a peça recorta um período que vai dos 30 aos 50 anos de idade da protagonista.” 

Todos os espetáculos são gratuitos. Ingressos para a montagem da Cia. Nêga Fulô podem ser solicitidados virtualmente aqui.