Turismo em Pauta

Turistas movimentam a capital nesta alta temporada

Visitantes se rendem aos encantos de Maceió, aproveitando nossas belezas naturais, nosso artesanato e arte popular e, claro, nossos melhores restaurantes

13 de Dezembro de 2021, 16:51

Ivaldo Pinto é jornalista

Maceió acaba de completar 206 anos. Continua linda, atraente, cheia de vida e repleta de turistas. Nesta época do ano, a orla marítima, feericamente iluminada, conta com bonita decoração natalina. À noite, os turistas invadem o calçadão da orla e ficam extasiados com tanta beleza e aproveitam para fazer selfies e registrar momentos inesquecíveis ao lado de familiares e amigos. 

O tempo passou e Maceió, com uma população estimada de 1.031.597 (IBGE/ 2021), não perdeu o seu encanto. O mar é, sem dúvida, a maior atração natural. Na orla marítima urbanizada, recortada por enseadas e emoldurada por coqueirais, o panorama é extasiante. O verde-azulado do mar é de encher os olhos — marca registrada do litoral de Alagoas.  

Porém, os turistas não são seduzidos apenas pela beleza ímpar das praias de Maceió — cada uma mais bonita do que a outra — e da exuberante lagoa Mundaú, mas também pela gastronomia, farta e deliciosa, artesanato variado, rico folclore e pelo povo despreocupado e amável, especialista em receber bem. 

O futuro dessa cidade cosmopolita está ligado intrinsecamente ao turismo, atividade que gera emprego e renda e que contribuiu substancialmente para a economia do estado. Para atender ao afluxo de turistas nacionais e estrangeiros, houve um investimento maciço da iniciativa privada no parque hoteleiro, com a ampliação e construção de novos hotéis pousadas, bem como de importantes equipamentos como o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, Centro de Convenções Ruth Cardoso e o Terminal de Passageiros do Porto de Maceió, a cargo do poder público. 

Na capital dos alagoanos, come-se bem pratos da culinária nacional, regional e internacional nos restaurantes da orla marítima e adjacências. Uma boa opção são os quiosques à beira-mar, bem estruturados, que servem petiscos marinhos e outras especialidades da culinária regional, afora bebidas variadas, sem esquecer água de coco e as tradicionais tapiocas com vários sabores. 

O turista tem várias opções para compras de produtos artesanais de boa qualidade em Maceió, para presentear familiares e amigos. São bordados, redendê, tradicionais peças de filé e outros tipos, que podem ser encontrados no Pavilhão do Artesanato e na Feirinha da Pajuçara; no Mercado do Artesanato, no Centro, e no bucólico bairro do Pontal da Barra, de onde saem as embarcações que fazem o Passeio das Nove Ilhas. 

Notas 

*A 21ª. Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte) acontece entre os dias 10 e 19 de dezembro, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Este ano, o tema é “Festa no Reino da Arte”, em homenagem ao Movimento Armorial, iniciativa artístico-cultural idealizada pelo escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. A feira receberá cerca de cinco mil expositores, distribuídos em 700 espaços, em uma área de 30 mil m². Com investimento de R$ 7 milhões, o evento vai gerar cerca de 2,5 mil postos de trabalho temporário e tem uma expectativa de receber 200 mil visitantes. Expositores vindos de 25 estados brasileiros e do Distrito Federal vão marcar presença nesta vigésima-primeira edição. Por sua vez, o setor internacional contará com 21 países ocupando 40 estandes. Pela primeira vez, a Fenearte acolherá uma representação de migrantes e refugiados internacionais do Senegal e Benin (África), além de venezuelanos da etnia Warao (América do Sul), para expor e comercializar a arte de seus territórios de origem. 

Fenearte movimenta o artesanato de Recife/ Foto/ Matheus Ribeiro

*No dia 8 de dezembro, dedicado à Nossa Senhora da Conceição, Maceió abriu a temporada de cruzeiros marítimos com a chegada do gigante MSC Seaside. A embarcação trouxe a bordo mais de três mil cruzeiristas que desembarcaram no recém-inaugurado Terminal do Porto de Maceió, e foram recepcionados com apresentações culturais e exposição de produtos da terra. A Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel) também distribuiu mapas da cidade e informações sobre o destino no Centro de Atendimento ao Turista (CAT), instalado na orla de Pajuçara. Essa é a primeira vez que a capital alagoana recebe cruzeiros dentro de um terminal. A obra, de bonita concepção arquitetônica, com 1.668,13 m², custou R$ 5,7 milhões. Foi erguida com recursos do governo federal, por meio do Ministério da Infraestrutura. Nesta temporada, mais de 23 cruzeiros deverão chegar à capital alagoana, fortalecendo a economia local.

O gigante MSC Seaside trouxe mais de três mil cruzeiristas ao Porto de Jaraguá

*Artesãos alagoanos têm espaço nos corredores do Maceió Shopping, no bairro de Mangabeiras, até o dia 31 de janeiro de 2022, para expor os seus produtos, graças ao programa “Alagoas Feita à Mão”, iniciativa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). São peças de roupa, chapéu de guerreiro, mosaicos de azulejos, entre outros produtos. A mostra, voltada para a alta temporada, quando Maceió registra grande movimento de turistas, teve início em 11 de novembro, e tem a participação de sete artesãos e diversas associações alagoanas que trabalham com bordado de filé. “Alagoas Feita à Mão” é um projeto encampado pela Sedetur desde 2015. O objetivo é criar ações que promovam o segmento do artesanato no estado e contribuam para a geração de renda e qualidade de vida dos artistas locais. As atividades principais são focadas nas participações de feiras e eventos nacionais, divulgação do catálogo comercial do artesanato alagoano e mapeamento e identificação das oficinas dos artesãos. 

Artesãos expõem no Shopping Maceió até 31 de janeiro de 2022

De volta ao passado 

Na década de 1980, com a implantação do Hotel Jatiúca, Maceió se tornou o destino preferido de paulistas, paranaenses, gaúchos, goianos e brasilienses, que aqui aportavam para conhecer a capital alagoana e desfrutar de suas belas praias. Na época, o Jatiúca reinava soberano. Conseguir reservas não era tarefa fácil. Se hospedar no Jatiúca era status — passar a lua de mel, chique. Não foi à toa que o hotel serviu de cenário para uma novela da TV Globo, o que o tornou mais conhecido ainda. O tempo passou, e o Hotel Jatiúca não perdeu o seu charme. Passou por ampliação e reformas e continua atraindo hóspedes de vários estados brasileiros. Para comemorar os seus 30 anos de atividades, no dia 24 de novembro de 2009, o hotel reuniu, em almoço, representantes do trade turístico e jornalistas.

Frederico Lucena, Paulo Kugelmas e Danielle Novis comemoram 30 anos do Hotel Jatiúca

Contato: ivaldopintodebarros@hotmail.com