Cultura

Ana Claudia Laurindo lança seu sétimo livro com abordagem espiritualista e social

'Caminhos da eterna Flama' está disponível nas livrarias e também como e-book em site especializado; autora diz que a obra faz uma 'crítica ao movimento espírita brasileiro e sua hegemonia de direita'

04 de Janeiro de 2022, 09:13

Sebage Jorge/ Editor

“Caminhos da eterna Flama — Espíritos em Viagem” é o sétimo livro da socióloga Ana Cláudia Laurindo, lançado no final do ano passado pela editora Aruá Cult. Com 118 páginas, a obra custa nas livrarias R$ 35. Na versão digital (e-book), a obra fica por R$ 20. De acordo com a autora, “Caminhos da eterna Flama” faz uma “abordagem espiritualista, com reflexões sobre a vida humana em sua totalidade”.

A autora em noite de autógrafos em 2019: 'Religião é um problema ao lado do poder'
'Postura não-religiosa, mas política'

De acordo com Ana Cláudia Laurindo, de religião espírita, a vida humana “reúne matéria e espírito na travessia das dimensões espaciais”, que são, segundo ela, “nascimento, vivências, morte, erraticidade e reencarnação”. “Com as implicâncias sociais, culturais e políticas dessas experiências.”

A autora afirma que seus primeiros cinco livres trazem “narrativas aproximadas de uma sociologia alagoana com sua cultura de violência estrutural”.

No sexto livro, porém, “Deus e Política: Enredo da Morte no Brasil”, optou por “nacionalizar” essa análise.

“Tomando como foco”, diz Laurindo, “as influências do bolsonarismo nas religiões, fazendo a crítica ao movimento espírita brasileiro e sua hegemonia de direita.”

Como espírita, a autora diz adotar uma postura “não-religiosa, mas política”. “Dialogo com as religiões de maneira ecumênica”, explica.

A obra também pode ser acessada na internet

Ana Claudia Laurindo diz que a religião "é um problema todas as vezes que se põe lado a lado do poder dominante".

"O fundamentalismo religioso é percebido de maneira mais óbvia no evangelismo, mas o contorno político da religião vai além desse aspecto. Poderíamos afirmar que não existe hoje credo religioso brasileiro totalmente isento das influências fascistas que assombram o país.”